Acompanhe:

UE impõe sanções a 21 russos e ucranianos por Crimeia

Depois de uma reunião com duração de cerca de três horas, os 28 chanceleres da UE rapidamente chegaram a um acordo sobre a lista

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Mulher celebra resultados preliminares de referendo sobre união da Crimeia à Rússia: é provável que a UE passe à próxima fase de sanções, logo que líderes se reunirem na quinta-feira, com a expansão da lista de nomes
 (REUTERS/David Mdzinarishvili)

Mulher celebra resultados preliminares de referendo sobre união da Crimeia à Rússia: é provável que a UE passe à próxima fase de sanções, logo que líderes se reunirem na quinta-feira, com a expansão da lista de nomes (REUTERS/David Mdzinarishvili)

A
Adrian Croft, Martin Santa

Publicado em 17 de março de 2014 às, 10h54.

Bruxelas - Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia concordaram em impor sanções contra 21 pessoas da Rússia e da Ucrânia nesta segunda-feira, incluindo proibições de viagens e congelamento de bens, disse o chanceler da Lituânia nesta segunda-feira.

Depois de uma reunião com duração de cerca de três horas, os 28 chanceleres da UE rapidamente chegaram a um acordo sobre a lista dos que devem ser sancionados por participação na tomada da Crimeia pela Rússia e do referendo de domingo para separar a península da Ucrânia e se juntar à Rússia.

"O (Conselho dos Relações Exteriores) acaba de concordar com as sanções -- restrições de viagem e congelamento de bens contra 21 autoridades da Ucrânia e Rússia", escreveu Linan Linkevicius em uma mensagem no Twitter.

Ele acrescentou que mais medidas podem ser tomadas dentro de alguns dias, quando líderes da UE vão se encontrar para uma reunião de cúpula em Bruxelas. Os líderes devem expandir a lista para incluir mais autoridades próximas ao presidente russo, Vladimir Putin.

Os alvos na primeira fase de sanções incluem políticos responsáveis pela organização do referendo de domingo na Crimeia, quando 97 por cento dos eleitores decidiram separar a região da Ucrânia para se juntar à Rússia. A UE diz que o referendo foi ilegal e não reconhece o resultado.

Autoridades europeias disseram estar determinadas a pressionar a Rússia por suas ações na Crimeia, com a imposição de sanções, incluindo a proibição de viagens e congelamento de bens dos responsáveis. Os Estados Unidos devem tomar medidas semelhantes também nesta segunda.


Há alguns sinais de que a ameaça de sanções está gerando um impacto na Crimeia e na Rússia.

Autoridades na Crimeia pediram formalmente a anexação à Rússia nesta segunda-feira, e o chefe do Parlamento local disse que seriam dispersadas unidades militares ucranianas na península.

O presidente russo, Vladimir Putin, vai discursar em uma sessão conjunta do Parlamento da Rússia na terça-feira, quando possivelmente a separação será formalizada.

Se isso acontecer, é provável que a UE passe à próxima fase de sanções, logo que líderes se reunirem na quinta-feira, com a expansão da lista de nomes.

Mesmo assim, não está claro se Moscou tem qualquer intenção de recuar ou inverter o curso na Crimeia, e há indícios de que poderia ampliar sua influência em regiões de língua russa do leste da Ucrânia.

A UE disse que vai aumentar ainda mais a pressão das sanções se isso acontecer, incluindo a imposição de restrições comerciais e financeiras de maior alcance sobre a Rússia, como as impostas com sucesso contra o Irã.

Embora constantemente ampliando a ameaça de sanções, a UE também tem incentivado a Rússia a negociar diretamente com a Ucrânia.

Em um sinal de que Putin pode estar se preparando para responder a essas chamadas, a Rússia apoiou nesta segunda a criação de um "grupo de apoio" internacional para mediar a crise. Mas informou que um dos objetivos do grupo seria a Ucrânia reconhecer a secessão da Crimeia, inaceitável tanto para Kiev como para a Europa, os Estados Unidos e a maior parte do mundo.

Últimas Notícias

Ver mais
Após mortes em Gaza, UE descongela € 50 milhões em fundos para agência da ONU
Mundo

Após mortes em Gaza, UE descongela € 50 milhões em fundos para agência da ONU

Há 13 horas

Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia
seloMercados

Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia

Há 21 horas

G20: dirigente do BCE afirma ser necessário encontrar solução legal sólida para ativos russos
Mundo

G20: dirigente do BCE afirma ser necessário encontrar solução legal sólida para ativos russos

Há um dia

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa
ESG

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais