Mundo

Site do censo australiano sofreu ciberataque internacional

"Foi um ataque e acreditamos que veio de fora. É uma tentativa deliberada de sabotar o censo", disse o diretor da ABS à emissora "ABC"


	Ciberataque: o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, garantiu que os dados fornecidos pela população estão protegidos
 (Thinkstock)

Ciberataque: o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, garantiu que os dados fornecidos pela população estão protegidos (Thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de agosto de 2016 às 08h28.

Sydney - O bloqueio gerado ontem à noite ao site oficial do censo demográfico da Austrália e que impediu milhões de australianos de preencher a pesquisa foi causado por um ataque cibernético feito de fora do país, informaram as autoridades locais nesta quarta-feira.

Horas antes, o Escritório Australiano de Estatística (ABS), que organiza a pesquisa feita a cada cinco anos, tinha notificado sobre o ataque e informado que a página era capaz de gerir 1 milhão de formulários por hora e que o sistema não cairia. De acordo com o diretor da ABS, David Kalisch, o portal sofreu quatro ataques e depois do último a organização decidiu suspender o levantamento por precaução.

"Foi um ataque e acreditamos que veio de fora. É uma tentativa deliberada de sabotar o censo", disse ele à emissora "ABC".

A ABS estimou que dois terços dos australianos utilizariam a internet para responder o censo, o que transformaria pela primeira vez internet na principal forma de realizar esta tarefa de caráter obrigatório no lugar dos formulários de papel.

O primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, que ontem de manhã anunciou que tinha respondido a sua pesquisa "sem problemas", garantiu que os dados fornecidos pela população estão protegidos.

A legislação do país prevê multas de até 180 dólares australianos (cerca de R$ 430) para aqueles que não entreguem os formulários preenchidos a tempo, mas a ABS anunciou em comunicado que não aplicará sanções e que o prazo de entrega será estendido até 23 de setembro. 

Acompanhe tudo sobre:AustráliaHackersPaíses ricos

Mais de Mundo

Itamaraty lamenta morte de brasileiro na Faixa de Gaza e pede liberação imediata de reféns

Ucrânia atinge complexo russo na Crimeia com mísseis fornecidos pelos EUA

Aumento da violência força Equador a declararar novo estado de emergência

Corte Internacional de Justiça determina que Israel suspenda ofensiva em Rafah

Mais na Exame