Mundo

Rishi Sunak avança na disputa para designar primeiro-ministro britânico

A ex-ministra da Igualdade Kemi Badenoch, com 59 votos, foi eliminada da disputa

Sunak obteve 118 votos, seguido da ex-ministra da Defesa Penny Mordaunt, com 92 (Jonathan Hordle/Getty Images)

Sunak obteve 118 votos, seguido da ex-ministra da Defesa Penny Mordaunt, com 92 (Jonathan Hordle/Getty Images)

A
AFP

19 de julho de 2022, 14h07

O ex-ministro das Finanças britânico, Rishi Sunak, voltou a liderar, nesta terça-feira, 19, a nova rodada de votação entre os deputados conservadores para designar o sucessor do primeiro-ministro Boris Johnson, disputa na qual restam apenas três candidatos.

Nesta quarta votação, Sunak obteve 118 votos, seguido da ex-ministra da Defesa Penny Mordaunt, com 92, e da atual ministra das Relações Exteriores, Liz Truss, com 86.

Leia também: Sunak lidera corrida para suceder o primeiro-ministro britânico Boris Johnson

A ex-ministra da Igualdade Kemi Badenoch, com 59 votos, foi eliminada da disputa.

Após a dramática renúncia de Johnson, em 7 de julho, como líder do Partido Conservador, teve início na semana passada a longa disputa interna para substituí-lo.

Em um primeiro momento, os 358 deputados conservadores votam em sucessivas rodadas eliminatórias até chegar, em 20 de julho, em dois candidatos finalistas.

Os cerca de 200 mil membros do Partido Conservador escolherão entre eles por cédula postal durante o verão e o vencedor será anunciado em 5 de setembro.

Devido aos candidatos restantes, o Reino Unido se prepara para ter seu primeiro primeiro-ministro asiático ou a terceira primeira-ministra da história do país.

Apesar das crescentes abstenções, os três candidatos ainda na disputa melhoraram seus resultados, mas mantiveram suas posições: na segunda-feira Sunak obteve 115 votos, Mordaunt 82, Truss 71 e Badenoch 58.

Sunak ficou a apenas dois votos dos 120 necessários para garantir uma vaga entre os dois finalistas nesta terça-feira, que viajarão pelo país para fazer campanha a partir de sexta.

No entanto, já é quase inevitável que o ex-ministro das Finanças, cuja renúncia em 4 de julho levou a outras 60 demissões no governo, com Johnson por último, seja um dos finalistas.

Por outro lado, a corrida para alcançá-lo diminuiu um pouco mais, já que Truss ganhou 15 votos, enquanto a muito popular Mordaunt, até agora favorita nas casas de apostas, ganhou apenas dez.

A ministra das Relações Exteriores agora espera que a ala direita do partido, que apoiou Badenoch, fique ao seu lado.

De acordo com uma pesquisa do YouGov publicada antes da votação dos deputados, Badenoch é quem venceria entre os afiliados do partido, com quem Sunak perderia por ampla margem.

Grande surpresa nesta disputa, Mordaunt, uma reservista da Marinha Real que foi brevemente a primeira-ministra da Defesa do Reino Unido e agora é secretária de Estado para o Comércio Externo, chegou a liderar essa pesquisa anteriormente.

No entanto, nos últimos dias ela foi duramente criticada pelo ex-ministro do Brexit, David Frost, que foi seu superior e a acusou de incompetência.

A procuradora-geral Suella Braverman, eliminada como candidata na semana passada, apoiou Truss, acusando Mordaunt de não "defender as mulheres".

Veja também:

As duas crises de Draghi: premiê busca gás na Argélia enquanto tenta sobreviver em casa

Reino Unido quebra recorde histórico de temperatura mais alta no país