Fux repudia tentativas de Bolsonaro 'de colocar em xeque processo eleitoral'

Ministro repudiou os ataques de Bolsonaro a cerca de 70 dias das eleições gerais
 (Andressa Anholete/Getty Images)
(Andressa Anholete/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 19/07/2022 às 19:22.

Em meio a novas agressões do presidente Jair Boslonaro ao sistema eleitoral - durante reunião com 60 embaixadores nesta segunda, 18 - o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux conversou com o ministro Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, e reagiu à 'tentativa de se colocar em xeque mediante a comunidade internacional, o processo eleitoral e as urnas eletrônicas, que têm garantido a democracia brasileira nas últimas décadas'.

Fux e Fachin se falaram por videoconferência. De saída da presidência do Supremo, Fux repudiou os ataques de Bolsonaro a cerca de 70 dias das eleições gerais. Ele reiterou 'confiança total na higidez do processo eleitoral e na integridade dos juízes que compõem o TSE'.

Leia também: Fachin rebate falas de Bolsonaro sobre segurança das urnas eletrônicas

O ministro Alexandre de Moraes, atual vice-presidente da corte eleitoral, comandará o tribunal durante o pleito que se aproxima. Junto de Fachin e do ex-presidente do TSE Luís Roberto Barroso, o magistrado é um dos alvos preferenciais do chefe do Executivo e de sua base aliada.

Após a reunião em que Bolsonaro não só atacou o sistema eletrônico de votação, mas também fez alegações direcionadas a ministros do TSE, a corte eleitoral divulgou uma lista rebatendo vinte alegações do chefe do Executivo. O TSE elencou diversos conteúdos produzidos pela Secretaria de Comunicação e Multimídia da corte que desmontam a narrativa do presidente.

Veja também:

Falta de acordo nas coligações multiplica candidaturas ao Senado em SP

Em triunfo de Ciro sobre PT, PDT escolhe Roberto Cláudio como pré-candidato no Ceará