Mundo

Presidente do Irã morre em acidente de helicóptero

Presidente Ebrahim Raisi e Ministro do Exterior Hossein Amirabdollahian estão entre os mortos da queda do helicóptero

Raisi era um ultraconservador e foi eleito em 2021 com mandato até 2025.  (AFP Photo/AFP Photo)

Raisi era um ultraconservador e foi eleito em 2021 com mandato até 2025. (AFP Photo/AFP Photo)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de maio de 2024 às 06h22.

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morreu aos 63 anos na queda do helicóptero ao norte do país. As informações foram confirmadas pelo governo local nas primeiras horas desta segunda-feira (20).

Raisi foi eleito em 2021 e seu mandato iria até 2025. O presidente era a segunda pessoa mais importante do Irã. Atrás apenas do aiatolá Ali Khamanei, que é o líder supremo do país. De acordo com informações da imprensa local, o helicóptero caiu em uma região de difícil acesso ao norte do país, próximo da fronteira com o Azerbaijão.

A queda do helicóptero matou todos que viajavam nele, incluindo, o chanceler do país, Hossein Amirabdollhian, Malek Rahmati, governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental; e Hojjatoleslam Al Hashem, líder religioso.

12 horas de buscas

As buscas começaram na tarde de domingo (19) no Irã. As primeiras informações do acidente chegaram por volta das 13h no país asiático (6h da manhã de domingo no Brasil). A aeronave foi encontrada apenas nas primeiras horas da segunda-feira graças a um drone enviado pela Turquia que identifica locais de calor.

As primeiras informações do Ministro do Interior do Irã, Ahmad Vahidi, afirmavam que o helicóptero tinha feito um pouso forçado na região montanhosa. Já na noite de domingo no Irã, a imprensa oficial do governo informou que a aeronave havia sofrido um acidente por causa das condições climáticas.

Quem era Ebrahim Raisi

Raisi assumiu a presidência do Irã em 2021, após eleições no país. Considerado um ultraconservador, foi eleito em 18 de junho, no primeiro turno, em votações marcadas por uma abstenção recorde em eleições presidenciais e na ausência de um opositor forte.

Sucedeu ao moderado Hassan Rouhani, que o havia derrotado nas eleições presidenciais de 2017 e que, após dois mandatos consecutivos, não pôde concorrer novamente.

Raisi saiu fortalecido das legislativas de março, as primeiras eleições a nível nacional desde os protestos de 2022, que eclodiram após a morte de Mahsa Amini, presa por não respeitar o código de vestuário para mulheres no país. Após as eleições de março, o presidente iraniano celebrou o "novo fracasso histórico dos inimigos do Irã após os protestos" de 2022.

Nascido em novembro de 1960 na cidade sagrada xiita de Mashhad, no nordeste do país, Raisi fez carreira no Judiciário. Antes de se tornar presidente, foi procurador-geral de Teerã e procurador-geral do país.

Acompanhe tudo sobre:Irã - PaísÁsia

Mais de Mundo

“Davos in the Desert” arrives in Rio to search for opportunities between Brazil and Saudi Arabia

“Davos do deserto” chega ao Rio com foco nas oportunidades entre Brasil e Arábia Saudita

Eleições dos EUA terão semanas decisivas; entenda o que estará em jogo

Partido Conservador francês propõe aliança com extrema direita para eleições no Parlamento

Mais na Exame