Mundo

Polícia confrontam manifestantes durante reunião da Apec

Os manifestantes caminharam mais de sete quilômetros até chegar a uma avenida próxima do centro de imprensa e a um quilômetro da sede do evento


	Protestos: a polícia tentou calar os gritos dos manifestantes com música, através de alto-falantes gigantes
 (Edgar Su / Reuters)

Protestos: a polícia tentou calar os gritos dos manifestantes com música, através de alto-falantes gigantes (Edgar Su / Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de novembro de 2015 às 08h55.

A polícia filipina usou jatos de água contra centenas de manifestantes que protestavam nesta quinta-feira em Manila contra a reunião de cúpula da APEC, o Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico.

Os manifestantes, organizados em várias passeatas, caminharam mais de sete quilômetros até chegar a uma avenida próxima do centro de imprensa e a um quilômetro da sede do evento, que reúne líderes mundiais como os presidentes americano Barack Obama e chinês Xi Jinping.

Os agentes antidistúrbios, com cassetetes e escudos, usaram água para impedir que os manifestantes conseguissem romper o cordão policial.

Os manifestantes, que criticam o que chamam de agenda neoliberal da APEC, que segundo eles favorece as grandes empresas e deixa os pobres de lado, exibiam cartazes com frases como "APEC lixo", "Filipinas não se vende" ou "Não ao domínio estrangeiro".

Em um determinado momento, a polícia tentou calar os gritos dos manifestantes com música, através de alto-falantes gigantes.

Entre as canções utilizadas estavam "How deep is your love", dos Bee Gees, "Sexy Bitch", de David Guetta, e "Roar", de Katy Perry.

"O presidente filipino Benigno Aquino deveria proteger seus compatriotas. A globalização provocou a queda dos preços de nossos bens e nós apenas sobrevivemos", disse à AFP a manifestante Nida Floresca, que trabalha com cultivo de arroz.

De acordo com uma fonte policial, 2.000 manifestantes participaram no protesto.

A reunião da APEC, centrada na promoção do livre comércio na região, termina nesta quinta-feira na capital filipina.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaFilipinasgestao-de-negociosPolítica no BrasilProtestosReuniões

Mais de Mundo

Julgamento de Trump entra em fase final, em meio a suspense sobre seu testemunho

Tensão entre Milei e Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, se desdobra em crise diplomática

Tribunal em Londres autoriza Assange a apresentar recurso contra extradição para os EUA

Procurador do Tribunal Penal Internacional pede prisão de Netanyahu e líder do Hamas

Mais na Exame