Acompanhe:

Paquistão prende informantes que ajudaram a matar Bin Laden

Os homens detidos incluíam um major do Exército paquistanês; militares negam prisões

Modo escuro

Continua após a publicidade
Soldados patrulham os arredores do esconderijo de Osama: as relações entre o Paquistão e os EUA se deterioraram em função da localização de Bin Laden em território paquistanês (Aamir Qureshi/AFP)

Soldados patrulham os arredores do esconderijo de Osama: as relações entre o Paquistão e os EUA se deterioraram em função da localização de Bin Laden em território paquistanês (Aamir Qureshi/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 15 de junho de 2011 às, 10h59.

Washington - A principal agência de espionagem do Paquistão prendeu cinco informantes paquistaneses que ajudaram a CIA a localizar e matar o chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden, informou o jornal New York Times nesta quarta-feira.

Os homens presos incluíam um major do Exército paquistanês, que teria feito um levantamento das placas dos carros que visitavam o esconderijo de Bin Laden na cidade de Abbottabad, a duas horas da capital Islamabad.

O Exército paquistanês negou que algum de seus militares tenha sido preso em relação ao que chamou de "Incidente Abbottabad".

"A história é falsa e totalmente sem fundamento", afirma uma declaração oficial.

Um oficial da segurança paquistanesa afirmou anteriormente à AFP que a Agência de Inter-Serviços de Inteligência (ISI) não comentou as informações.

Fontes americanas afirmaram ao jornal que o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), Leon Panetta, havia mencionado o destino dos informantes durante conversações com militares e oficiais da inteligência paquistaneses na semana passada.

Neste encontro em particular, o diretor adjunto da CIA teria dado uma nota 3, num total de 10, à cooperação do Paquistão com os Estados Unidos em termos de contraterrorismo.

As relações entre o Paquistão e os Estados Unidos se deterioraram visivelmente em função da localização de Bin Laden - e subsequente morte - em territorio paquistanês, o que humilhou o exército nacional e causou críticas de incompetência e cumplicidade.

O embaixador paquistanês para os Estados Unidos, Husain Haqqani, afirmou ao jornal que a CIA e a ISI "trabalham em termos de comum acordo para cooperar na luta contra a ameaça do terrorismo". "Não é apropriado para nós entrar em detalhes a esse ponto", limitou-se a comentar.

Oficiais americanos afirmaram ao jornal, por sua vez, que os agentes da ISI US, negaram-se nos últimos meses a realizar operações de vigilância para a CIA, negaram vistos aos agentes de inteligência americanos e ameçaram impor maiores restrições aos voos dos aviões drones americanos em seu espaço aéreo.

Segundo o New York Times, a CIA se prepara para transferir para o Afeganistão alguns desses aparelhos que operam no Paquistão.

Últimas Notícias

Ver mais
Motoristas da Uber ameaçam deixar cidade e lei trabalhista é revogada nos EUA
Mundo

Motoristas da Uber ameaçam deixar cidade e lei trabalhista é revogada nos EUA

Há 5 horas

Governo pede que CNJ regulamente nova lei das “saidinhas”
Brasil

Governo pede que CNJ regulamente nova lei das “saidinhas”

Há 6 horas

Biden diz que EUA e aliados 'derrotaram' ataque do Irã contra Israel
Mundo

Biden diz que EUA e aliados 'derrotaram' ataque do Irã contra Israel

Há 6 horas

Democratas levam luta pelo aborto de casa em casa na batalha eleitoral dos EUA
Mundo

Democratas levam luta pelo aborto de casa em casa na batalha eleitoral dos EUA

Há 10 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais