Mundo

Milei fará show de rock e lançará livro contra o socialismo em evento em Buenos Aires

Presidente argentino fez parte de banda na juventude e é fã dos Rolling Stones

Javier Milei, presidente da Argentina, durante evento em Madri (Oscar del Pozo/AFP)

Javier Milei, presidente da Argentina, durante evento em Madri (Oscar del Pozo/AFP)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 22 de maio de 2024 às 16h44.

O presidente da Argentina, Javier Milei, fará um evento incomum para um governante: subir ao palco com uma banda para um show de rock. Ele marcou sua apresentação para a noite desta quarta-feira, 22, em um evento no qual também lançará um livro.

Milei subirá ao palco do Luna Park, em Buenos Aires, uma das principais casas de shows do país, que costuma receber cantores internacionais: estrelas como o americano Frank Sinatra (1915-1998) já se apresentaram lá

Durante a campanha eleitoral, Milei fez comícios no Luna Park, que tem capacidade para 8.000 espectadores. O evento, marcado para as 20h, terá distribuição gratuita de ingressos algumas horas antes.

Na juventude, o atual presidente participou de uma banda que fazia cover dos Rolling Stones, por quem diz ser apaixonado. O setlist do show de Milei não foi relevado.

Além do show, Milei fará o lançamento de um livro, chamado "Capitalismo, Socialismo y la Trampa Neoclásica" (capitalismo, socialismo e a cilada neoclássica), em que faz críticas ao socialismo e a ideias de esquerda. O presidente falará sobre o livro antes da apresentação musical.

A apresentação do livro estava marcada para 12 de maio na Feira do Livro de Buenos Aires, mas foi adiada após divergências entre o governo e a organização do evento.

O show de Milei ocorre em meio a uma crise diplomática com a Espanha. O líder argentino esteve em Madri no fim de semana e, em um evento do partido de extrema-direita Vox, fez críticas ao socialismo e fez uma menção indireta à esposa do premiê espanhol RafaPedro Sánchez, do partido socialista. Begoña é investigada por uma suposta relação comercial com empresas que receberam ajuda do governo.

"As elites globais não percebem o quão destrutivo pode ser implementar as ideias do socialismo (...), mesmo quando a mulher for corrupta, sujar-se e tirar cinco dias para pensar sobre isso ", disse Milei. Em abril, Sánchez tirou alguns dias de licença após as denúncias sobre sua mulher se tornarem públicas, mas optou por seguir no cargo.

Na segunda, Sanchez exigiu que Milei se desculpasse, mas o argentino disse que não o fará. Em seguida, a Espanha anunciou que retiraria sua embaixadora da Argentina, de forma definitiva, o que significa um rompimento parcial das relações diplomáticas.

Acompanhe tudo sobre:ArgentinaJavier MileiRock

Mais de Mundo

Coreia do Sul retoma propaganda com alto-falantes após receber mais balões com lixo do Norte

Direita tem resultado histórico na Europa, mas partidos de centro devem manter maioria no Parlamento

Ministro da Guerra de Israel renuncia por falta de plano para fim do conflito em Gaza

Ultradireita avança na Bélgica, mas sem destronar conservadores nas eleições nacionais e regionais

Mais na Exame