Acompanhe:

Maquinista estava ao telefone no momento do acidente de trem

Condutor estava falando ao telefone e veículo estava a 192 km/h no momento do acidente, segundo fontes judiciais

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Parte de trem acidentado na Espanha é retirado: Tribunal Superior de Justiça da Galícia disse que as informações foram reveladas pelas caixas-pretas do trem
 (REUTERS/Miguel Vidal)

Parte de trem acidentado na Espanha é retirado: Tribunal Superior de Justiça da Galícia disse que as informações foram reveladas pelas caixas-pretas do trem (REUTERS/Miguel Vidal)

D
Da Redação

Publicado em 30 de julho de 2013 às, 14h24.

Santiago de Compostela - O maquinista do trem que descarrilou em Santiago de Compostela, na Espanha, estava falando ao telefone com funcionários da companhia ferroviária Renfe no momento do acidente e o veículo estava a 192 km/h pouco antes de tombar na linha, informaram nesta terça-feira fontes judiciais.

O Tribunal Superior de Justiça da Galícia disse que as informações foram reveladas pelas caixas-pretas do trem. O acidente deixou 79 mortos e mais de 150 feridos.

Segundos antes do acidente, o freio foi ativado, por isso estima-se que no momento do descarrilamento o trem estava a 153 km/h, de acordo com dados provisórios.

Segundo as informações recuperadas das caixas-pretas do trem, nos minutos prévios ao descarrilamento, o motorista recebeu uma chamada da empresa para qual trabalha sobre indicações da rota rumo à cidade de Ferrol, final do trajeto do trem que tinha partido de Madri.

Pelo conteúdo da conversa e pelo barulho ao fundo, "parece que o maquinista consulta um plano ou algum documento similar", assinala o Tribunal Superior em comunicado.

O esvaziamento de dados das caixas-pretas do trem que descarrilou em 24 de julho em Santiago de Compostela, capital da região da Galícia, foi concluído após cinco horas de trabalho.


O titular do Juizado de Instrução número 3 de Santiago de Compostela, Luis Aláez, ordenou a realização de cópias de segurança do conteúdo das caixas, informaram à Agência Efe fontes próximas à investigação.

Foram extraídos tanto dados técnicos como de voz, e também foi realizada uma transcrição das conversas em tempo real, assinalaram as mesmas fontes consultadas.

Em um primeiro momento, o juiz se reuniu com responsáveis da polícia científica para definir os passos a seguir para recuperar as informação das caixas-pretas.

Depois, o titular do Juizado , a secretária judicial e o promotor se reuniram com a polícia científica, judicial, técnicos da Renfe e da empresa que gere as linhas Adif, e técnicos da Comissão de Investigação do Ministério de Fomento para analisar a forma como seriam extraídas as informações e para comprovar que todas as partes estavam de acordo.

Os vagões e as máquinas estão sob custódia da polícia em um local que fica cerca de vinte quilômetros de Santiago de Compostela.

Até o fim das investigações, os vagões não serão retirados e ainda há possibilidade de contar com cachorros para realizar a última inspeção dos restos".

*Matéria atualizada às 14h23

Últimas Notícias

Ver mais
Bolsas da Europa fecham mistas, com repercussão de perspectivas para Irã e Israel
seloMercados

Bolsas da Europa fecham mistas, com repercussão de perspectivas para Irã e Israel

Há 8 horas

Trem pega fogo na zona norte do Rio e passageiros pulam do vagão em chamas; veja vídeo
Brasil

Trem pega fogo na zona norte do Rio e passageiros pulam do vagão em chamas; veja vídeo

Há um dia

Kristalina Georgieva assume como diretora do FMI pela segunda vez
Mundo

Kristalina Georgieva assume como diretora do FMI pela segunda vez

Há 3 dias

Amaggi recebe primeira autorização para teste de biodiesel em embarcação fluvial
ESG

Amaggi recebe primeira autorização para teste de biodiesel em embarcação fluvial

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais