Mundo

Ilha do Pacífico Sul registrada no Atlas não existe

A ilha é visível no atlas digital Google Earth, sob o nome de Sandy Island (Ilha da Areia), no Mar de Corais, entre a Austrália e o território francês da Nova Caledônia

Monitor exibe o site Google Earth: "Está no Google Earth e em outros mapas. Mas nós verificamos e não há nenhum ilha", disse Maria Seton (©AFP/Illustration / Jean-Pierre Muller)

Monitor exibe o site Google Earth: "Está no Google Earth e em outros mapas. Mas nós verificamos e não há nenhum ilha", disse Maria Seton (©AFP/Illustration / Jean-Pierre Muller)

DR

Da Redação

Publicado em 22 de novembro de 2012 às 16h57.

Sydney - Uma ilha do Pacífico Sul, identificada pelo Google Earth e pelos grandes atlas mundiais, não existe, informou nesta quinta-feira uma equipe de cientistas australianos que partiram, em vão, à procura dessa massa terrestre, durante uma expedição geológica.

A ilha é visível no atlas digital Google Earth, sob o nome de Sandy Island (Ilha da Areia), no Mar de Corais, entre a Austrália e o território francês da Nova Caledônia.

O "Times Atlas of the World", um dos atlas de referência mundial, identifica a ilha sobre o nome de Sable Island.

As cartas marítimas utilizadas pelo Southern Surveyor, um navio de pesquisa científica, identificam também esta ilha, disse em entrevista à AFP Maria Seton, membro da equipe científica que partiu em busca da ilha.

Durante uma missão de identificação de fragmentos da crosta continental australiana submersa no Mar de Corais, os cientistas não encontraram a ilha.

"Nós queríamos verificar. Mas as pesquisas indicam aqui uma profundidade de 1.400 metros, uma profundidade muito grande", disse Seton, de volta após uma viagem marítima de 25 dias.

"Está no Google Earth e em outros mapas. Mas nós verificamos e não há nenhum ilha. Ficamos surpresos, é muito bizarro", acrescentou.

"Uma das coisas mais excitantes sobre mapas e geografia é que o mundo não para de evoluir. E manter o ritmo dessas mudanças é uma tarefa que nunca termina", declarou à AFP um porta-voz do Google.

O serviço hidrográfico da marinha australiana, encarregado de produzir as cartas marítimas oficiais, declarou à Fairfax Media que usam os dados cartográficos comuns "com uma pitada de sal", porque certos detalhes são desatualizados ou errôneos.

Acompanhe tudo sobre:AustráliaGoogleGoogle EarthOceanosPaíses ricos

Mais de Mundo

Biden promete a estudantes que escutará protestos por Gaza e trabalhará por 'paz duradoura'

Japão faz alerta depois de ursos atacarem diversas pessoas no nordeste do país

Espanha chama para consultas embaixadora na Argentina e exige desculpas de Milei

Após dois anos de pausa, Blue Origin, de Jeff Bezos, leva passageiros ao espaço

Mais na Exame