Mundo

Homem entrega 10 mil latinhas para reciclagem e vai preso

Em caso digno da série Seinfeld, o rapaz pode ser condenado a 5 anos de prisão e deve pagar multa de US$ 5 mil


	Latinhas: em caso digno da série Seinfeld, o rapaz pode ser condenado a 5 anos de prisão e deve pagar multa de US$ 5 mil
 (Thinkstock)

Latinhas: em caso digno da série Seinfeld, o rapaz pode ser condenado a 5 anos de prisão e deve pagar multa de US$ 5 mil (Thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de julho de 2016 às 18h23.

Reciclar pode dar dinheiro, ao menos se você for residente do estado de Michigan, nos Estados Unidos. Lá, cada lata de alumínio ou garrafa de plástico ou de vidro que é entregue para reciclagem vale 10 centavos de dólar.

Michigan não é o único estado com essa prática, mas é o que paga melhor. E, com isso, a lei que tenta estimular práticas eco-friendly se torna alvo das maiores picaretagens.

Tentando se aproveitar da recompensa, Brian Everidge, de 44 anos, bolou um plano quase perfeito. Foi até Kentucky, o estado vizinho, que não paga nada pelo retorno de embalagens recicláveis, carregou um caminhão com 10 mil latas de alumínio e voltou a Michigan, pronto para receber US$ 1.000 com a sua "encomenda".

A prática é ilegal: o retorno de 10 centavos por embalagem só vale para bebidas compradas dentro do estado, e tentar trazer lixo reciclável de propósito para tentar lucrar dá cadeia.

A gravidade da punição depende da quantidade de embalagens trazidas. Até 25 unidades, não é crime. Entre 25 e 100, a multa é de US$ 100. Entre 100 e 10 mil, a pena máxima é de 93 dias na prisão e/ou uma multa de US$ 1 mil.

Já Everidge está sendo processado na classificação máxima do "esquema da reciclagem": ele arrisca ser preso por até 5 anos ou receber uma multa de U$ 5 mil, cinco vezes o que ganharia com o golpe.

Na maioria das vezes, os estabelecimentos que recebem as embalagens não perguntam de onde elas vêm. O problema com o plano de Everidge foi outro: um pé muito pesado no acelerador.

Com um caminhão tão pesado, ele só poderia chegar a 96 km/h na estrada, mas foi parado pela polícia rodoviária correndo a 115 km/h.

A surpresa do guarda, que testemunhou na audiência do pilantra, foi abrir o caminhão e encontrar sacos gigantescos lotados com latas de alumínio.

Segundo seu depoimento, o motorista lotou o caminhão o máximo que pode - não tinha espaço nem para mais 5 latinhas, segundo avaliou o policial.

A ideia de lucrar em cima dos retornos ecológicos de Michigan não é nem um pouco original - pelo contrário, a série de comédia Seinfeld tem um episódio chamado "O Depósito das Garrafas", em que os personagens traçam exatamente o mesmo plano.

Nem na ficção o esquema foi para frente - os personagens desistem quando percebem que o preço da gasolina para chegar até Michigan vai ser mais alto do que iriam faturar com os recicláveis. A trama foi ao ar 20 anos atrás - não dá para dizer que Everidge estava desavisado.

http://www.criticalcommons.org/Members/Ghent/clips/the%20bottle_deposit.mp4/embed_view

Acompanhe tudo sobre:CrimeEstados Unidos (EUA)Países ricosReciclagem

Mais de Mundo

Novas pesquisas preveem vitória trabalhista histórica nas eleições britânicas

Líder do Hezbollah diz que 'nenhum lugar' de Israel estará a salvo em caso de guerra

Governo Milei nega 'pacto de impunidade' com Bolsonaro por foragidos do 8 de janeiro

União Europeia repreende sete países por desrespeito às regras financeiras do bloco

Mais na Exame