Mundo

Governo retoma leilões de petróleo

Serão ofertados para exploração 172 blocos. Originalmente eram 174, mas dois foram excluídos por pendências ambientais


	Leilões de petróleo: será a primeira licitação em quatro anos e meio. A 10.ª rodada foi realizada em dezembro de 2008
 (Mário Rofrigues/VEJA São Paulo)

Leilões de petróleo: será a primeira licitação em quatro anos e meio. A 10.ª rodada foi realizada em dezembro de 2008 (Mário Rofrigues/VEJA São Paulo)

DR

Da Redação

Publicado em 11 de janeiro de 2013 às 14h00.

Brasília - Em meio a notícias sobre queda na produção de petróleo e à necessidade de mais investimentos no País, a presidente Dilma Rousseff autorizou nesta quinta-feira (10) a 11ª rodada de leilão de áreas para exploração de petróleo e gás.

Será a primeira licitação em quatro anos e meio. A 10.ª rodada foi realizada em dezembro de 2008.

"Essa licitação deverá acontecer em maio, ou antes, se a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) tiver condições", afirmou Lobão. Com o anúncio de uma medida aguardada pelo setor privado, o governo procurou criar um fato positivo e ofuscar as especulações em torno da necessidade de racionar eletricidade.

Serão ofertados para exploração 172 blocos. Originalmente eram 174, mas dois foram excluídos por pendências ambientais. Metade deles está em terra e metade no mar, mas fora do pré-sal.

Segundo a diretora-geral da ANP, Madga Chambriard, a novidade da rodada será a descentralização do investimento exploratório, atualmente bastante concentrado nas bacias de Campos, de Santos e nas áreas de pré-sal.

"Agora, estamos indo para o litoral do Rio Grande do Norte e Amapá, áreas praticamente virgens, canalizando o investimento em uma área até então muito pouco contemplada", afirmou Magda.

Também serão licitadas áreas de gás natural na bacia do Parnaíba, no Maranhão e Piauí. Os blocos em áreas de bacias maduras foram mantidos como oportunidade de negócios para pequenos e médios empresários. 

Acompanhe tudo sobre:EnergiaGoverno DilmaLeilõesPetróleo

Mais de Mundo

Mais de 10 mil migrantes cruzaram o Canal da Mancha desde o início do ano, um recorde

Israel tem a intenção de retomar negociações sobre Gaza esta semana, diz agência

Quatro anos após o assassinato de George Floyd, seu irmão ainda tem pesadelos

Em crise, Butão quer reerguer economia através da 'felicidade bruta'

Mais na Exame