Mundo

França deve elevar idade da aposentadoria para 64 anos, diz primeira-ministra

Projeto vai para comissão parlamentar e debate na Assembleia Nacional em 6 de fevereiro; oposição apresentou 7 mil propostas de emendas

France's Prime Minister Elisabeth Borne gives a speech after the first results of the parliamentary elections at Matignon in Paris on June 19, 2022. - French President Emmanuel Macron is set to lose his parliamentary majority after major election gains by a newly formed left-wing alliance and the far right, in a stunning blow to his hopes of major reform in his second term. (Photo by Ludovic MARIN / POOL / AFP) (Photo by LUDOVIC MARIN/POOL/AFP via Getty Images) (LUDOVIC MARIN/POOL/AFP/Getty Images)

France's Prime Minister Elisabeth Borne gives a speech after the first results of the parliamentary elections at Matignon in Paris on June 19, 2022. - French President Emmanuel Macron is set to lose his parliamentary majority after major election gains by a newly formed left-wing alliance and the far right, in a stunning blow to his hopes of major reform in his second term. (Photo by Ludovic MARIN / POOL / AFP) (Photo by LUDOVIC MARIN/POOL/AFP via Getty Images) (LUDOVIC MARIN/POOL/AFP/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 29 de janeiro de 2023 às 17h01.

A primeira-ministra da França, Elisabeth Borne, insistiu neste domingo (29) que o plano do governo de aumentar a idade de aposentadoria de 62 para 64 anos "não é mais negociável", irritando ainda mais os parlamentares opositores e os sindicatos que planejam novos protestos em massa e greves nesta semana.

Aumentar a idade de aposentadoria é parte de um projeto de lei amplo que é a principal medida do segundo mandato do presidente Emmanuel Macron. O projeto de lei encontra resistência popular generalizada - mais de 1 milhão de pessoas marcharam contra ele no início deste mês - e mal-entendidos sobre o que significará para os trabalhadores franceses de hoje.

Em entrevista à rádio France-Info, transmitida no domingo, Borne afirmou que a idade "não é mais negociável". Aposentadoria aos 64 anos e aumento do número de anos necessários para receber uma pensão completa "é o compromisso que propusemos depois de ouvir organizações patronais e sindicatos", disse ela.

Uma petição online liderada por sindicato contra o plano de aposentadoria teve um aumento de novas assinaturas após os comentários de Borne. Os oito principais sindicatos da França estão em negociações sobre uma resposta conjunta às suas observações, de acordo com funcionários das entidades FO e CFDT.

O governo diz que a reforma é necessária para manter o sistema previdenciário solvente, já que a expectativa de vida na França aumentou e as taxas de natalidade diminuíram. "Nosso objetivo é garantir que em 2030 tenhamos um sistema financeiramente equilibrado", disse Borne.

Sindicatos e partidos de esquerda querem que grandes empresas ou famílias mais ricas contribuam mais para equilibrar o orçamento previdenciário.

O projeto de lei vai para uma comissão parlamentar na segunda-feira (30) e para um debate completo na Assembleia Nacional em 6 de fevereiro. A oposição apresentou 7.000 propostas de emendas, que complicarão ainda mais o debate. Fonte: Associated Press.

Acompanhe tudo sobre:AposentadoriaEmmanuel MacronFrança

Mais de Mundo

Otan anuncia ‘muro de drones’ em sua fronteira com a Rússia após nova provocação de Moscou

Tratado para preparar o mundo para a próxima pandemia termina sem acordo

Onda de calor: México registra 48 mortes devido às altas temperaturas

Pandemia de covid reduziu em quase 2 anos expectativa de vida entre 2019 e 2021

Mais na Exame