Mundo

EUA oferece recompensa de US$ 1 milhão por filho de Bin Laden

País catalogou Hamza bin Laden como um dirigente em ascensão no grupo extremista

Bandeira dos EUA (Alvin Baez/Reuters)

Bandeira dos EUA (Alvin Baez/Reuters)

A

AFP

Publicado em 28 de fevereiro de 2019 às 21h47.

Os Estados Unidos ofereceram nesta quinta-feira (28) uma recompensa de um milhão de dólares por informações sobre um filho do falecido líder da rede Al Qaeda, Osama bin Laden, ao catalogá-lo como um dirigente em ascensão no grupo extremista.

A localização de Hamza bin Laden, às vezes chamado de "príncipe herdeiro da jihad", tem sido objeto de especulações por anos, durante os quais têm sido recebidos informes dele no Paquistão, no Afeganistão ou em prisão domiciliar no Irã.

Segundo o Departamentode Estado americano, que promete o dinheiro em troca de informação "para identificá-lo ou localizá-lo em qualquer país", é um "líder emergente" da Al Qaeda.

"Desde pelo menos agosto de 2015, tem publicado mensagens de áudio e vídeo na internet, pedindo ataques aos Estados Unidos e seus aliados ocidentais, e ameaçado com ataques aos Estados Unidos em vingança pela morte de seu pai, assassinado em maio de 2011 por soldados americanos", escreveu a diplomacia americana em um comunicado.

Segundo especialistas em grupos islamitas, o jovem, agora em seus 30 anos, está a cargo do grupo Ansar al-Fourqan, que tem recrutado durante alguns meses na Síria os combatentes mais doutrinados da Al Qaeda ou à organização jihadista Estado Islâmico.

Hamza bin Laden costuma ser visto como o "príncipe-herdeiro da jihad": há documentos, entre eles as cartas reveladas pela AFP em maio de 2015, que mostram que Osama Bin Laden pretendia que tivesse êxito à frente da Jihad global antiocidental.

Entre os arquivos do líder jihadista apreendidos durante a operação americana em 2011, na qual o extremista foi morto no Paquistão, e revelados no fim de 2017 pela CIA, também está um vídeo do casamento de seu filho, Hamza, aparentemente no Irã.

Ignora-se se ele ainda está no Irã, Síria ou Afeganistão.

Acompanhe tudo sobre:Al QaedaEstados Unidos (EUA)Osama bin Laden

Mais de Mundo

Eleições na França: os planos dos rivais de Macron para a economia

EUA anuncia que vai priorizar entregas de sistemas de defesa aérea Patriot para a Ucrânia

Putin ganha cães de Kim Jong-un durante visita à Coreia do Norte; veja fotos

Ozempic e Wegovy "acabam" com canetas de insulina na África do Sul; entenda

Mais na Exame