Mundo

Estados exigem que Catar feche Al Jazeera e se afaste do Irã

Exigências feitas por quatro Estados árabes visam encerrar a pior crise no Golfo Pérsico em anos

Fechamento da emissora de televisão Al Jazeera está entre as exigências dos Estados árabes contra o Catar (Sean Gallup/GETTY IMAGES/Getty Images)

Fechamento da emissora de televisão Al Jazeera está entre as exigências dos Estados árabes contra o Catar (Sean Gallup/GETTY IMAGES/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 23 de junho de 2017 às 10h07.

Dubai - Quatro Estados árabes que impuseram um boicote ao Catar alegando suposto apoio ao terrorismo enviaram a Doha uma lista de 13 exigências, incluindo o fechamento da emissora de televisão Al Jazeera e a redução dos laços com o Irã, disse uma autoridade de um dos quatro países.

As exigências, que visam encerrar a pior crise no Golfo Pérsico em anos, parecem concebidas para acabar com uma política externa de duas décadas por meio da qual o Catar procurou subir de categoria e se posicionar na arena global como mediador da paz, muitas vezes em nações muçulmanas.

A mentalidade independente de Doha, incluindo uma abordagem conciliadora em relação ao Irã e apoio a grupos islâmicos, em particular a Irmandade Muçulmana, tem irritado alguns de seus vizinhos, que veem o islamismo político como uma ameaça ao seu domínio dinástico.

A lista, elaborada por Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito e Bahrein, que cortaram relações econômicas, diplomáticas e de viagem com Doha em 5 de junho, também exige o fechamento de uma base militar turca no Catar, disse a autoridade à Reuters.

O ministro da Defesa da Turquia, Fikri Isik, rejeitou a demanda, dizendo que qualquer pedido para que a base seja fechada representaria uma interferência nas relações de Ancara com Doha, insinuando que a Turquia pode reforçar sua presença.

"Fortalecer a base turca seria um passo positivo em termos da segurança do Golfo", disse. "Reavaliar o acordo da base com o Catar não está em nossa agenda".

O Catar também precisa anunciar que está cortando laços com organizações terroristas, ideológicas e sectárias, incluindo Irmandade Muçulmana, Estado Islâmico, Al Qaeda, Hezbollah e Jabhat Fateh al Sham, que era o braço da Al Qaeda na Síria, disse a autoridade árabe, e entregar todos os terroristas assim identificados em seu território.

Os quatro Estados árabes acusam o Catar de financiar o terrorismo, fomentar a instabilidade regional e buscar intimidade com a teocracia revolucionária do Irã, adversário regional dos quatro países. Doha negou as acusações.

As autoridades cataris não responderam de imediato a pedidos de comentário, mas na segunda-feira o ministro das Relações Exteriores, xeique Mohammed bin Abdulrahman al-Thani, disse que o Catar não irá negociar com os quatro vizinhos a menos que estes suspendam as medidas contra Doha.

Acompanhe tudo sobre:Al JazeeraCatarIrã - País

Mais de Mundo

Foto inédita de William com os filhos, tirada por Kate, é publicada para celebrar Dia dos Pais

Exército israelense anuncia pausa diária nas operações em uma região de Gaza

Cúpula pela paz na Suíça reafirma integridade da Ucrânia, mas pede negociações com a Rússia

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Mais na Exame