Mundo

Em SP, Greenpeace protesta contra Código Florestal

Protestos contra a aprovação do Código levaram cartazes com os dizeres "Fórum dos donos da motosserra" e "Código Florestal: o que é ruim para o Brasil"

"Congresso, desliga a motosserra", diz faixa de 10 por 30 metros apresentada pelo Greenpeace, em manifestação em frente ao Congresso Nacional antes da votação do novo Código Florestal (Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

"Congresso, desliga a motosserra", diz faixa de 10 por 30 metros apresentada pelo Greenpeace, em manifestação em frente ao Congresso Nacional antes da votação do novo Código Florestal (Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de maio de 2011 às 11h29.

São Paulo - Manifestantes do grupo ambientalista Greenpeace promoveram nesta manhã um protesto contra a aprovação da reforma do Código Florestal pela Câmara dos Deputados. Cerca de dez ambientalistas se reuniram na porta de um hotel na região central de São Paulo, onde ocorre o 21º Fórum da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). "Os mandantes deste crime estão reunidos aqui hoje", afirmou o diretor-executivo do Greenpeace, Marcelo Furtado.

Os manifestantes levaram duas faixas com os dizeres "Fórum dos donos da motosserra" e "Código Florestal: o que é ruim para o Brasil", esta segunda frase em referência ao título do fórum organizado pela associação - "Código Florestal: O que é bom para o Brasil?".

Um dos ambientalistas vestia terno e gravata e manejava uma motosserra. Após meia hora de manifestação, um representante do agronegócio recebeu dos manifestantes uma das faixas. A polícia foi chamada, mas só chegou quando o protesto já havia terminado.

De acordo com Furtado, o protesto não significa que a entidade seja contra a produção agrícola no País. "Os ambientalistas não são contra a produção de alimentos e o agronegócio brasileiro", afirmou. "Mas essa discussão, às custas de comprometer as florestas, é um atraso". O ambientalista criticou os que tentam impor ao País "a agricultura a qualquer preço".

Cerca de 160 representantes do agronegócio estão reunidos nesta manhã para discutir o projeto do Código Florestal recém-aprovado. O relator do projeto, deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), era esperado para o encontro, mas não apareceu.

Para o Greenpeace, a aprovação do projeto do novo Código Florestal compromete as metas do País de preservação do meio ambiente. "Com este projeto, o Brasil não tem condição de cumprir seu compromisso internacional", avaliou Furtado. De acordo com ele, existe uma preocupação dos ambientalistas com a continuidade da discussão do projeto, agora no Senado. "Estamos muito preocupados com o que vai acontecer no Senado", disse.

O ambientalista lembrou que a presidente Dilma Rousseff se comprometeu a não aceitar anistia e aumento de desmatamento, mas a base aliada não seguiu a orientação do governo na votação na Câmara. Furtado acredita que o projeto, da forma como está, estimula o aumento da violência no campo. "Temos uma série de assassinatos ocorrendo no campo em todo o País porque a palavra de ordem é: 'Vamos desmatar e acreditar na impunidade'. Isso precisa acabar".

Acompanhe tudo sobre:Código florestalDesmatamentoGreenpeaceMeio ambiente

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame