Mundo

Delegação de Hamas volta ao Egito para retomar negociações de cessar-fogo em Gaza

Tem aumentado a pressão para alcançar um acordo - a crise humanitária em Gaza está escalando dramaticamente enquanto Israel insiste que lançará uma ofensiva em Rafah

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 4 de maio de 2024 às 10h33.

Última atualização em 4 de maio de 2024 às 10h33.

Tudo sobreFaixa de Gaza
Saiba mais

Uma delegação do grupo militante palestino Hamas está no Cairo (capital do Egito) neste sábado, 4, enquanto a mídia estatal egípcia fala em um "progresso notável" nas contínuas negociações de cessar-fogo com Israel, embora um oficial israelense minimize as perspectivas de uma trégua.

Tem aumentado a pressão para alcançar um acordo - a crise humanitária em Gaza está escalando dramaticamente enquanto Israel insiste que lançará uma ofensiva em Rafah, a cidade mais ao sul do território.

Mediadores egípcios e americanos relataram sinais de compromisso nos últimos dias, mas as chances de um acordo de cessar-fogo permanecem entrelaçadas com a questão-chave de se Israel aceitará um fim para a guerra sem alcançar seu objetivo declarado de destruir o Hamas.

O estado egípcio de Al-Qahera disse neste sábado que um consenso foi alcançado sobre muitos dos pontos disputados, mas não entrou em detalhes. O Hamas pediu um fim completo para a guerra e a retirada de todas as forças israelenses de Gaza.

Crise humanitária em Gaza

A guerra matou mais de 34.000 palestinos, de acordo com os funcionários locais de saúde de Gaza, causou destruição generalizada e mergulhou o território em uma crise humanitária sem precedentes desde que o conflito se iniciou em 7 de outubro, quando Hamas atacou o sul de Israel.

Um alto oficial israelense, falando sob condição de anonimato, minimizou as perspectivas de um fim para a guerra. O oficial disse que Israel não concordará em nenhuma circunstância em encerrar a guerra como parte de um acordo para libertar reféns.

Acompanhe tudo sobre:Faixa de GazaEgitoConflito árabe-israelenseIsrael

Mais de Mundo

Primeira viagem de Milei à Espanha como presidente não terá honras militares e coletiva de imprensa

Suprema Corte dos EUA confirma proibição de posse de armas a agressores domésticos

Tribunal impõe penas de prisão à família mais rica do Reino Unido por exploração de funcionários

Dez prefeitos da oposição na Venezuela são inabilitados por 15 anos após apoio a Edmundo González

Mais na Exame