Mundo

Cerrado pode garantir fornecimento de água

Quase 80% das águas da Bacia Amazônica vêm de rios que nascem no Cerrado

Chapada dos Veadeiros: Cerrado é o segundo bioma mais devastado do país (./Wikimedia Commons)

Chapada dos Veadeiros: Cerrado é o segundo bioma mais devastado do país (./Wikimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h42.

A conservação do Cerrado é estratégica e essencial para a manutenção do regime de águas no Brasil e na América Latina. De acordo com dados da SOS Cerrado, 78% da água que abastece a Bacia Amazônica vem de rios que  nascem no Cerrado; 50% das água da  bacia do São Francisco, tem origem nas nascentes do bioma; 48% a bacia Platina (Paraná-Paraguai).

O desmatamento do segundo maior bioma do país cresce em ritmo acelerado, o que pode degradar rios importantes que nascem dentro dele e percorrem estados das cinco regiões do país, alimentando culturas agrícolas, cidades e hidrelétricas.

"Muitas pessoas ainda reconhecem o Cerrado como um bioma de clima seco e sem vida. Pouca gente sabe que é a maior fonte geradora de água doce do país, bem no coração do Brasil, e é uma das importantes cabeceiras da maior bacia fluvial do mundo, a bacia Amazônica", explica a diretora executiva da Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, Malu Nunes.

Para que essas bacias continuem a ser alimentadas pelos rios do Cerrado, é fundamental que a cobertura vegetal do bioma seja mantida. O problema é que 80% da área natural do Cerrado já foram alterados. No Brasil, o Cerrado só perde para a Mata Atlântica em desmatamento. As principais ameaças vêm da expansão das fronteiras agrícolas, da exploração de minérios, da retirada de biomassa para produção de carvão e do crescimento desordenado das áreas urbanas.

O desmatamento está degradando rios importantes como o São Francisco e o Tocantins e também ameaça a sobrevivência de um das mais ricas biodiversidade do país. Há registros no Cerrado da presença de cerca de 10 mil espécies vegetais, 800 de aves e 160 de mamíferos.

"As unidades de conservação são a principal ferramenta para proteger as nossas paisagens naturais. Elas são áreas protegidas por lei, que abrigam um patrimônio rico em biodiversidade, e que têm como objetivo a manutenção da natureza e dos serviços ecossistêmicos prestados por ela", diz Malu Nunes.

Atualmente, o Cerrado apresenta apenas 6,77% de seu território legalmente protegido por unidades de conservação, sendo que o mínimo indicado pela Convenção da Diversidade Biológica é de 10 %. Daquele total, de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente, 3,88% são de unidades de conservação de uso sustentável e 2,89% são unidades de conservação de proteção integral.
 
A cobertura vegetal é fundamental para a manutenção do ciclo hidrológico. Além de devolverem parte da água das chuvas ao ambiente na forma de vapor, as árvores interceptam a água que escorre para o solo, fazendo com que ela se infiltre lentamente até chegar aos lençóis subterrâneos, de onde alimentam nascentes, e a partir daí os cursos d'água.

 

Acompanhe tudo sobre:ÁguaReflorestamentoSustentabilidade

Mais de Mundo

Exército israelense anuncia pausa diária nas operações em uma região de Gaza

Cúpula pela paz na Suíça reafirma integridade da Ucrânia, mas pede negociações com a Rússia

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Mais na Exame