Mundo

Conheça Lisa Franchetti, a primeira mulher que irá comandar a Marinha dos EUA

Nomeada por Biden, Franchetti foi confirmada no caso com apenas um voto contra no Senado americano

Lisa Franchetti: militar já estava ocupando o cargo interinamente desde agosto. (Tom Williams/CQ-Roll Call, Inc/Getty Images)

Lisa Franchetti: militar já estava ocupando o cargo interinamente desde agosto. (Tom Williams/CQ-Roll Call, Inc/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 3 de novembro de 2023 às 08h25.

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira a almirante Lisa Franchetti como comandante da Marinha americana. Com isso, ela se tornou a primeira mulher nesse cargo e no Estado-Maior Conjunto.

Nomeada por Biden no cargo, Franchetti foi confirmada com 95 votos a favor e apenas um contra. Ela já ocupa o cargo interinamente desde agosto.

A militar serviu a bordo de uma série de navios, comandando um contratorpedeiro equipado com mísseis guiados, um esquadrão de contratorpedeiros e dois grupos de ataque de porta-aviões. Franchetti foi vice-comandante das forças navais dos EUA na Europa e também na África, além de vice-chefe de operações navais para desenvolvimento de combate.

Em setembro de 2022, Franchetti foi nomeada vice-comandante de operações navais, segundo cargo da Força.

— Franchetti traz 38 anos de dedicado serviço à nossa nação como oficial comissionada, incluindo seu atual cargo de vice-chefe de operações navais —, disse Biden quando a militar foi nomeada para o cargo em julho.

— Ela é a segunda mulher a alcançar a patente de almirante quatro estrelas na Marinha dos Estados Unidos e, quando confirmada, fará história novamente como a primeira mulher a ocupar o cargo de Chefe de Operações Navais e do Estado-Maior Conjunto —, acrescentou.

O Senado aprovou também a nomeação do General David Allvin para chefiar a Força Aérea dos EUA por 95 votos a favor e um contra, fechando a vaga criada quando o comandante daquele serviço foi nomeado chefe do Estado-Maior Conjunto.

Allvin – um piloto com mais de 4.600 horas de voo, incluindo 100 em combate – serviu anteriormente como vice-comandante da Força Aérea.

Acompanhe tudo sobre:MarinhaEstados Unidos (EUA)Governo Biden

Mais de Mundo

Nicolás Maduro assina documento para respeitar resultados das eleições na Venezuela

Rei da Espanha recusa encontro com Milei em meio a crise diplomática, diz jornal

Putin no Vietnã: presidente fala em criar 'arquitetura de segurança fiável' para Ásia-Pacífico

Sanções da União Europeia atingem gás da Rússia pela primeira vez

Mais na Exame