Comitiva de presidente sul-americano manda parar carro em estrada e é alvo de tiros

Confronto aconteceu perto de fronteira com o México, em região dominada pelo narcotráfico; granada é encontrada no local
Policiais em região marcada por protestos contra empresa de mineração na Guatemala (JOHAN ORDONEZ/AFP via Getty Images/Getty Images)
Policiais em região marcada por protestos contra empresa de mineração na Guatemala (JOHAN ORDONEZ/AFP via Getty Images/Getty Images)
A
AFPPublicado em 30/07/2022 às 20:32.

Militares da Guatemala evitaram neste sábado um "possível ataque" contra a comitiva do presidente Alejandro Giammattei, que fazia uma visita oficial a um vilarejo próximo à fronteira com o México, informou o porta-voz do Exército, Rubén Tellez.

O confronto entre soldados e indivíduos armados ocorreu em um posto de registro e segurança perimetral localizado a menos de 2 km de La Laguna, no município de Jacaltenango.

"Unidades do Exército guatemalteco solicitaram a parada de um veículo que se aproximava do local, mas os ocupantes do mesmo, ao perceberem a presença de militares, iniciaram uma série de disparos, aos quais os soldados responderam", indicou Tellez. "A reação dos ocupantes do veículo mereceu a resposta que foi dada e tratar o ocorrido como um possível ataque à comitiva e à integridade do senhor presidente."

Segundo imagens compartilhadas pela instituição, o confronto ocorreu em uma área montanhosa do departamento de Huehuetenango, a 400 metros da fronteira com o México, onde costumam atuar grupos de narcotraficantes. Um suposto cidadão mexicano foi baleado no confronto, e seus acompanhantes fugiram para o lado mexicano, onde autoridades prenderam quatro pessoas, possivelmente de origem guatemalteca ligadas ao incidente.

Uma granada para fuzil e um radiotransmissor foram encontrados no local do ataque. A presidência da Guatemala não se pronunciou sobre o ocorrido.

Veja também: