Cingapura apoia interesse dos EUA em TPP; Malásia é contra

Ministro de Comércio da Malásia, Mustapa Mohamed, disse que renegociar o TPP para fazer mudanças significativas pode ser difícil

Washington - O governo de Cingapura apoiou o interesse renovado dos Estados Unidos em fazer parte da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), mesmo com economistas alertando para incertezas relacionadas a esse interesse.

"O TPP foi projetado para ser um acordo inclusivo, aberto a países que pensam igual e capaz de cumprir seus altos padrões", disse uma porta-voz do Ministério de Comércio e Indústria de Cingapura.

A Malásia, por sua vez, não se mostrou tão entusiasmada com um possível retorno dos EUA. O ministro de Comércio do país, Mustapa Mohamed, disse que renegociar o TPP para fazer mudanças significativas pode ser difícil. "Chegamos a um acordo equilibrado para todas as partes envolvidas", disse.

Ontem, o presidente americano, Donald Trump, pediu a seus assessores, durante reunião com senadores, que estudassem se os EUA deveriam voltar à TPP. A parceria foi assinada em março e os EUA, que lideraram as negociações durante o governo de Barack Obama, não aderiram ao acordo.

São signatários do TPP 11 Chile, Austrália, Brunei, Canadá, Malásia, México, Japão, Nova Zelândia, Peru, Cingapura e Vietnã. Fonte: Dow Jones Newswires.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.