Acompanhe:

Brasil e Índia são emergentes com menos riscos para investir

A conclusão consta no Mapa de Risco Político 2013 da consultoria de seguros internacional AON

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Bandeiras do Mercosul: outros países latino-americanos, como Uruguai, Colômbia e Peru, também são indicados para investimentos
 (Norberto Duarte/AFP)

Bandeiras do Mercosul: outros países latino-americanos, como Uruguai, Colômbia e Peru, também são indicados para investimentos (Norberto Duarte/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 21 de março de 2013 às, 12h27.

Madri - O Brasil e a Índia são os países emergentes com menores riscos para os investimentos em 2013, enquanto Omã, Bahrein e os Emirados Árabes Unidos são os estados árabes que menos tiveram instabilidade política por conta da chamada "Primavera Árabe", segundo a consultoria de seguros internacional AON.

O Mapa de Risco Político 2013, apresentado nesta quinta-feira, exclui os países desenvolvidos e determina que os estados com um nível de risco mais baixo para os investimentos são o Brasil, Uruguai, Costa Rica, África do Sul, Botsuana, Omã, Catar, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Romênia, Bulgária, Índia, Bangladesh e Malásia.

Por regiões, na América Latina se observa uma clara brecha entre os países com pouca exposição ao risco, como Brasil, Uruguai, Colômbia e Peru, e os de alto risco, que seguem sendo Venezuela, Argentina, Equador, Bolívia, Cuba ou Paraguai, por questões diversas como a interferência política ou a violência.

Os países do Magrebe, exceto o Marrocos, continuam com altas taxas de risco político após a "Primavera Árabe" e a Argélia, o Mali e o Chade acusam uma instabilidade crescente que está sendo produzida no Sahel, o que consolida a África como o continente de mais risco, com exceções destacadas como a África do Sul e Botsuana.

Por outro lado, os países do Golfo Pérsico seguem sendo destinos com um risco político baixo, da mesma forma que a Índia, diferentemente de Rússia e China, que contam com um risco ocasionado sobretudo pelas interferências políticas.

O diretor de risco político da AON, Mariano Viale, destacou uma tendência positiva na redução de riscos dos investimentos em comparação com o ano anterior, embora explicou que "viemos de riscos muito altos, por isso que a situação é muito volátil". a consultoria de seguros internacional AON.

Últimas Notícias

Ver mais
Homem mais rico da América Latina anuncia investimento de R$ 40 bilhões no Brasil; entenda
Brasil

Homem mais rico da América Latina anuncia investimento de R$ 40 bilhões no Brasil; entenda

Há 8 horas

Em encontro com Lula, Honda anuncia investimentos de R$ 4,2 bilhões no Brasil
Brasil

Em encontro com Lula, Honda anuncia investimentos de R$ 4,2 bilhões no Brasil

Há 11 horas

Lula cobra pedido de desculpas do Equador por invasão de Embaixada do México
Brasil

Lula cobra pedido de desculpas do Equador por invasão de Embaixada do México

Há 3 dias

Em encontro com Lula, Mercado Livre anuncia investimento de R$ 23 bilhões no Brasil
Economia

Em encontro com Lula, Mercado Livre anuncia investimento de R$ 23 bilhões no Brasil

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais