Mundo

Bombeiros batalham pelo 2º dia contra incêndio no prédio da antiga Bolsa de Copenhague

Metade do edifício emblemático, construído entre 1619 e 1640, foi queimada

Incêndio: chamas atingem antiga bolsa Copenhague (Ida Marie Odgaard/Ritzau Scanpix/AFP)

Incêndio: chamas atingem antiga bolsa Copenhague (Ida Marie Odgaard/Ritzau Scanpix/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 17 de abril de 2024 às 12h34.

Os bombeiros trabalham nesta quarta-feira, 17, pelo segundo dia consecutivo, para apagar o incêndio que devorou parte da antiga bolsa de valores de Copenhague, na Dinamarca, e a polícia dinamarquesa informou que a investigação sobre a causa do incidente poderá durar meses.

Metade do edifício emblemático, construído entre 1619 e 1640, foi queimada e a agulha de 54 metros que o coroava ruiu após o incêndio que deflagrou na manhã de terça-feira, 16.

Embora os bombeiros tenham anunciado na terça-feira que as chamas estavam sob controle, ainda havia focos ativos em algumas partes do edifício, que estava em reforma.

"Esta manhã continuamos apagando o fogo na parte incendiada onde restam apenas as paredes exteriores", indicaram os serviços de emergência na rede X, acrescentando que estão trabalhando para "garantir a estabilidade das paredes".

Os bombeiros também examinaram a parte do prédio que ficou intacta. "Na parte que conseguimos salvar das chamas ainda temos equipes que estão monitorando para que o fogo não seja retomado. Está previsto que os trabalhos (...) continuem nas próximas 24 horas", afirmaram.

O incêndio começou no telhado do prédio e os investigadores ainda não conseguiram acessar o local. No momento a causa do acidente é desconhecida.

"É um processo complicado e pode levar vários meses até que possamos obter uma resposta", disse a polícia em comunicado.

O prédio, localizado perto do Parlamento dinamarquês, abrigou a Bolsa de Valores de Copenhague até a década de 1970 e atualmente é sede da Câmara de Comércio dinamarquesa. É um dos edifícios mais antigos da cidade.

Em uma notícia positiva para os moradores de Copenhague, Brian Mikkelsen, presidente da Câmara de Comércio dinamarquesa, disse que recuperou o topo da icônica agulha do edifício, que foi concebida para parecer formada pelas caudas entrelaçadas de quatro dragões.

Acompanhe tudo sobre:IncêndiosDinamarca

Mais de Mundo

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Vaticano alerta contra episódios imaginários relacionados a milagres e aparições

Governo Biden quer reclassificar maconha como droga de menor risco

Mais na Exame