O próximo passo de Biden no combate à pandemia nos EUA

Presidente americano anuncia nesta quinta-feira, 9, novas medidas de combate à pandemia no país
Joe Biden: número de não-vacinados e ascensão da variante delta preocupam administração (Kevin Lamarque./Reuters)
Joe Biden: número de não-vacinados e ascensão da variante delta preocupam administração (Kevin Lamarque./Reuters)
T
Thiago LavadoPublicado em 09/09/2021 às 06:00.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia

O presidente americano Joe Biden deve vir a público nesta quinta-feira para dar um discurso sobre a nova etapa no combate à pandemia de covid-19 nos Estados Unidos.

Um oficial afirmou à imprensa americana que se trata de um "plano robusto para parar a disseminação da variante Delta e aumentar vacinações". É esperado que as novas medidas tragam componentes e instruções relacionadas a diversos aspectos da vida cotidiana, como escolas, empresas privadas e funcionários do governo federal.

Não é esperado que o governo venha com alguma ordem para que a vacinação seja mandatória nos EUA.

Apesar disso, a situação é dramática. Embora haja ampla oferta de doses das vacinas contra a covid-19, apenas 53,3% dos americanos estão imunizados com duas doses e o sentimento anti-vacina encontra eco na sociedade americana, com estados que chegam a menos de 40% da população imunizada.

Enquanto luta para convencer pessoas a tomar a primeira dose e limitar a ascensão da variante Delta, o governo também vê pressão para que uma terceira dose seja ministrada nos completamente vacinados a partir do final deste mês.

Enquanto isso, a confiança pública em como o governo vem lidando com a pandemia caiu. Segundo uma pesquisa Washington Post-ABC, atualmente 52% dos americanos aprovam como Biden vem enfrentando a crise sanitária, abaixo de 62% em junho.

A percepção de risco também aumentou, em setembro 47% disseram ver um risco alto ou moderado de ficarem doentes, antes 29% em junho. O número disparou inclusive entre a população vacinada.

As novas medidas de Biden podem ser determinantes para que a maior economia do mundo continue a luta contra a covid-19.