Mundo

Avião russo com 224 pessoas a bordo cai no Egito

Contato com a torre de controle foi perdido 23 minutos depois da decolagem. Causas da queda ainda não foram divulgadas


	Pessoas choram após acidente: avião que caiu tinha como destino São Petersburgo
 (REUTERS/Peter Kovalev)

Pessoas choram após acidente: avião que caiu tinha como destino São Petersburgo (REUTERS/Peter Kovalev)

DR

Da Redação

Publicado em 31 de outubro de 2015 às 09h12.

Cairo - O Ministério da Aviação Civil do Egito confirmou neste sábado a queda, na Península do Sinai, de um avião russo com 217 passageiros e sete tripulantes e que tinha decolado na cidade de Sharm el-Sheikh.

Segundo um comunicado, que não explica a causa da queda, as equipes de busca e resgate encontraram destroços do avião, um Airbus 320, na região de Hasana, ao sul da cidade de Al Arish, capital da província do Norte do Sinai.

Aviões das Forças Armadas egípcias detectaram os destroços da aeronave em uma região montanhosa, à qual foram enviadas 54 ambulâncias para levar as vítimas a hospitais das cidades de Suez e Cairo. Além disso, aviões de reconhecimento seguem sobrevoando a área em busca dos passageiros.

A Rússia também informou que partes do avião foram encontradas, segundo a agência de notícias "Interfax".

O avião da companhia russa KogalimAvia havia decolado no aeroporto de Sharm el-Sheikh às 5h51 (hora local, 1h51 de Brasília), com destino a São Petersburgo, e o contato com a torre de controle foi perdido 23 minutos depois.

A região onde a aeronave caiu é montanhosa e de difícil acesso. No norte do Sinai operam grupos armados radicais, como o jihadista Estado Islâmico (EI). 

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-aviaoÁfricaÁsiaAviõesEgitoEuropaMortesRússiaTransportesVeículos

Mais de Mundo

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Pequeno município no leste da China desenvolve indústria panificadora bilionária

Após escândalo com PwC na China, KPMG e EY assumem auditorias no país

Mais na Exame