Acidente de trem deixa pelo menos 6 mortos no Marrocos

Todos os passageiros presos nos vagões do trem que descarrilou foram evacuados e cerca de 72 ficaram feridos
Marrocos: a companhia nacional de ferrovias vai investigar as causas do acidente (Twitter/ amouch abdellah/Reprodução)
Marrocos: a companhia nacional de ferrovias vai investigar as causas do acidente (Twitter/ amouch abdellah/Reprodução)
E
EFEPublicado em 16/10/2018 às 12:55.

Buknadel - Pelo menos seis pessoas morreram e outras 72 ficaram feridas depois que um trem de passageiros descarrilou nesta terça-feira na cidade de Buknadel, a aproximadamente 20 quilômetros de Rabat, informou o diretor-geral da companhia nacional de ferrovias (ONCF), Rabie Khlie.

Sete dos feridos estão em estado grave, explicou Khlie em entrevista no local do acidente.

O diretor da ONCF ressaltou que foi aberta uma investigação para determinar as causas e circunstâncias do acidente.

Todos os passageiros presos nos vagões do trem foram evacuados e os trabalhos de resgate já foram encerrados.

Os socorristas, acompanhados por cachorros, e os diferentes corpos de segurança realizaram uma enorme operação no local do acidente, para onde se transferiram várias ambulâncias.

A agência de notícias oficial marroquina, "MAP", informou que o rei Mohammed VI deu ordens para levar todos os feridos ao hospital militar de Rabat, considerado o mais bem equipado em toda a região e reservado para os membros das forças armadas.

O acidente aconteceu na manhã de hoje quando um trem partiu de Rabat com destino à cidade de Kenitra (45 quilômetros ao norte da capital) descarrilou por razões desconhecidas, o que provocou a queda de vários vagões que se chocaram com o pilar de uma ponte.

A linha entre Rabat e Kenitra e que passa pela cidade de Salé é muito frequentada por passageiros, já que muitos cidadãos que trabalham e estudam na capital marroquina moram na cidade vizinha.

Em comunicado, o presidente do Governo, Saadeddin Otmani, deu os pêsames aos familiares das vítimas e afirmou que a prioridade neste momento é "atender os feridos".

Por outro lado, o diretor-geral da ONCF apontou que a companhia está trabalhando para retomar o mais rápido possível o serviço em três linhas entre Salé e Kenitra que foi interrompido após o acidente.

Khlie acrescentou que este é o acidente ferroviário mais grave desde 1993, quando dois trens se chocaram em Temana, nos arredores de Rabat, deixando então 14 mortos e mais de cem feridos.