• BVSP 120.436,56 pts -0,2%
  • USD R$ 5,6712 +0,0546
  • EUR R$ 6,7945 +0,0719
  • ABEV3 R$ 15,75 -0,76%
  • BBAS3 R$ 29,57 -0,24%
  • BBDC4 R$ 25,73 -0,27%
  • BRFS3 R$ 24,14 -0,66%
  • BRKM3 R$ 49,09 +1,17%
  • BRML3 R$ 9,75 -0,31%
  • BTOW3 R$ 68,11 -0,12%
  • CSAN3 R$ 90,21 -0,93%
  • ELET3 R$ 34,26 +0,18%
  • EMBR3 R$ 15,84 -0,75%
  • Petróleo US$ 66,65 -0,24%
  • Ouro US$ 1.774,30 +0,42%
  • Prata US$ 26,03 +0,39%
  • Platina US$ 1.195,20 -0,17%

Após passar os 115 mil, até onde vai o Ibovespa em 2019?

Nesta sexta-feira, as atenções se voltam para o índice de inflação no Brasil e os dados de PIB nos Estados Unidos

São Paulo — Qual o novo limite do rali de natal das bolsas mundo afora? Ontem, Ibovespa, Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq fecharam em novos recordes nominais, acumulando alta de cerca de 30% no ano. O Ibovespa só teve três dias de queda em dezembro, e ontem subiu 0,71%, rompeu a marca dos 115 mil pontos, fechando em 115.131.

O bom desempenho de ontem foi puxado pelo resultado do Caged, que mostrou a criação de 99 mil postos de trabalho no Brasil em novembro, bem acima da expectativa de 57 mil vagas. Nesta sexta-feira, as atenções se voltam para indicadores econômicos, no Brasil e nos Estados Unidos.

No Brasil, às 9h, será divulgada a prévia da inflação oficial, com alta mensal de 0,95% influenciada pelo aumento no preço da carne em função da crescente demanda chinesa. A taxa acumulada nos últimos 12 meses deve ficar em 3,80%, abaixo da meta do Banco Central, de 4%. O resultado é especialmente importante porque pesará na decisão de futuros cortes na taxa básica de juros, a Selic.

Uma inflação com viés de alta pode fazer o Banco Central decidir por não anunciar novos cortes na Selic, que fecha o ano na mínima histórica de 4,5%. Para o ano que vem, além da demanda por carne continuar crescente, o índice pode ser afetado pelo aumento de imposto argentino sobre o trigo — o país é responsável por 80% do consumo interno brasileiro. A maior parte de analistas trabalha com a previsão de manutenção da Selic em 2020, um estímulo para a atração de novos investidores para a renda variável.

Hoje também é dia de divulgação do PIB nos Estados Unidos. A previsão é que a maior economia do mundo siga crescendo em ritmo saudável, na casa dos 2%, o que deve ser suficiente para manter em alta a confiança dos investidores.

Nesta sexta-feira autoridades chinesas voltaram a sinalizar que a assinatura da primeira fase do acordo comercial está próxima. O Parlamento britânico também se reúne hoje para votar o Brexit, e a expectativa é que a renovada maioria conquistada pelo governo de Boris Johnson seja o suficiente para a manutenção do otimismo nas bolsas europeias.

Nesta sexta-feira, os índices asiáticos e europeus andaram de lado. As previsões para 2020 seguem otimistas para as bolsas do mundo e, sobretudo, para a brasileira. A previsão da empresa de pesquisas Eleven é que o Ibovespa chegue a 138 mil pontos; outros analistas projetam o índice em 150 mil pontos. O maior risco é uma dificuldade do governo de aprovar novas reformas no Congresso, o que deve dificultar o PIB brasileiro de crescer o que prevê o ministério da Economia — algo como 2,5%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.