Economia

Inflação do aluguel sobe 2,94% em março e acumula alta de 31% em 12 meses

O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve alta de 3,56%

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis (Germano Lüders/Exame)

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis (Germano Lüders/Exame)

R

Reuters

Publicado em 30 de março de 2021 às 08h37.

Última atualização em 8 de junho de 2021 às 11h09.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 2,94% em março, de 2,53% em fevereiro, com os preços das matérias-primas e dos combustíveis liderando o movimento, mostraram dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

Com isso o índice acumula em 12 meses alta de 31,10%. O resultado do mês ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de um avanço de 3,05%.

No mês de março, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve alta de 3,56%, depois de subir 3,28% no período anterior.

"No índice ao produtor, os aumentos recentes dos preços das matérias-primas continuam a influenciar a aceleração de bens intermediários (4,67% para 6,33%) e de bens finais (1,25% para 2,50%)", disse em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

Para o consumidor, houve maior pressão, uma vez que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% sobre o índice geral, acelerou a alta a 0,98% em março, de 0,35% em fevereiro.

O grupo Transportes foi o principal responsável por essa leitura, uma vez que saltou 3,97% no mês, ante ganho de 1,45% em fevereiro. A gasolina foi um item de destaque, com alta de 11,33%.

Segundo André Braz, o aumento dos preços dos combustíveis colaborou para o avanço tanto da inflação ao produtor quanto ao consumidor.

O Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), por sua vez, passou a subir 2,00% no mês, contra alta de 1,07% em fevereiro.

"Na construção civil, os materiais para a construção seguem em aceleração impulsionados pela alta dos preços dos insumos básicos”, completou Braz.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Acompanhe tudo sobre:aluguel-de-imoveisEXAME-no-InstagramIGP-MInflação

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Como investir em imóveis e ter lucro em 8 passos

Burj Khalifa: 10 curiosidades sobre o maior prédio do mundo

Mais na Exame