Invest

Especialista dá dicas sobre como "dolarizar" sua renda

Investir nos Estados Unidos é uma forma de proteger o patrimônio, e está acessível a partir de US$ 1

Para começar a dolarizar sua renda por meio de investimentos no exterior, o primeiro passo é abrir conta em uma plataforma que tenha acesso a uma corretora no exterior.

Para começar a dolarizar sua renda por meio de investimentos no exterior, o primeiro passo é abrir conta em uma plataforma que tenha acesso a uma corretora no exterior.

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 23 de maio de 2024 às 12h05.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 11h54.

O dólar, como amplamente sabido, é uma moeda forte – conhecida, inclusive, como uma moeda global. Afinal, ela é trocada não somente dentro nos Estados Unidos, mas também em muitos outros países, e é a moeda padrão para o comércio internacional.

Nesse contexto, mesmo para brasileiros, pode ser interessante dolarizar a renda. Mas o que significa isso?

Paula Zogbi, head de conteúdo da Nomad, fintech que oferece serviços financeiros para brasileiros no exterior, explica que dolarizar a renda significa receber parte ou a totalidade de seus rendimentos em dólar.

“Isso pode acontecer por meio de salário ou remuneração por um trabalho feito no exterior ou via investimentos que ofereçam rendimentos dolarizados, complementando suas outras fontes de renda em reais”, detalha.

Como o brasileiro pode dolarizar sua renda?

A forma mais comum para o brasileiro dolarizar parte da sua renda é investindo no exterior. Isso pode parecer complicado para alguns – e talvez até fosse anos atrás. Mas a verdade é que, hoje, investir no exterior é muito simples. Basta ter uma conta global e investir pelo aplicativo da instituição financeira, sem complicações, nem sair de casa.

Zogbi explica que alguns investimentos no exterior costumam distribuir rendimentos periodicamente, por meio de dividendos ou cupons – e assim o investidor recebe dólares periodicamente.

É o caso de ações de algumas empresas consolidadas, REITs (ativos americanos similares aos fundos imobiliários), alguns tipos de bonds e ETFs, por exemplo.

Passo a passo para dolarizar a renda

Para começar a dolarizar a sua renda por meio de investimentos no exterior, o primeiro passo é abrir conta em uma plataforma que tenha acesso a uma corretora no exterior.

Zogbi comenta que, na Nomad, qualquer brasileiro residente ou domiciliado no Brasil consegue solicitar a abertura de conta. Basta baixar o app, informar os dados e enviar um documento brasileiro com foto.

Com a conta aberta, é necessário fazer uma remessa para o exterior, convertendo reais em dólares, realizar o teste de “suitability” para conhecer seu perfil de investidor e selecionar investimentos pagadores de renda periódica que sejam adequados ao seu perfil.

Pequenos investidores podem dolarizar o patrimônio?

Investir no exterior é acessível para pequenos e grandes investidores. Mesmo brasileiros com pouco patrimônio disponível para investir podem se beneficiar da dolarização, afirma Zogbi.

“O segredo é buscar ativos que sejam adequados ao nível de risco que a pessoa está disposta a tomar”, diz. “Os títulos emitidos pelo tesouro americano (e os ETFs relacionados), por exemplo, são considerados ativos livres de risco pelas agências de classificação, pela baixíssima probabilidade de default.”

Sobre os valores, na Nomad, por exemplo, é possível investir a partir de um dólar (cerca de cinco reais). “Então não é preciso acumular muito para começar a proteger o seu patrimônio com investimentos dolarizados”, diz a especialista.

Quais são as vantagens de dolarizar a renda?

Dolarizar o patrimônio pode ser um movimento estratégico para a proteção da carteira de riscos domésticos, já que investimentos internacionais são descorrelacionados a eventos que ocorrem no Brasil, e até de riscos globais, uma vez que o dólar é um ativo muito buscado como proteção pelo histórico de valorização em momentos de tensão global, como guerras e a pandemia.

“Ainda que não haja garantia de desempenho futuro, dolarizar o patrimônio também pode funcionar como blindagem do poder de compra, já que as oscilações do dólar têm consequências no dia a dia do brasileiro”, afirma Zogbi. “A valorização da moeda norte-americana aumenta os preços tanto de produtos importados como produzidos nacionalmente, por se tornar mais vantajoso vender para fora quando o real está desvalorizado.”

Quais são os riscos de investir no exterior?

O principal risco, seja mantendo o patrimônio no Brasil ou no exterior, é investir em desacordo com o seu perfil de investidor. “Assim como o mercado brasileiro, o americano tem ativos mais e menos expostos a riscos de mercado e volatilidade, e é preciso conhecer seu nível de aversão ou apetite a esses riscos”, alerta a especialista.

Também é importante adequar a liquidez dos seus investimentos ao prazo esperado: ativos mais líquidos, ou seja, que oferecem maior facilidade de resgate a um preço justo, podem ser mais adequados para objetivos de curto prazo.

Já para quem pode deixar o dinheiro investido por mais tempo, a indicação são os ativos de renda fixa com prazo de vencimento longo ou os de renda variável. Esses últimos, muitas vezes, oferecem facilidade de negociação, mas a volatilidade faz com que não necessariamente o resgate seja realizado ao preço considerado justo a qualquer momento.

Acompanhe tudo sobre:Investir Nomadbranded-content

Mais de Invest

Quina de São João: confira o resultado e quantas apostas foram sorteadas

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2740; prêmio acumulado é de R$ 86 milhões

Veja o resultado da Quina especial de São João; prêmio é de R$ 230 milhões

Cosan (CSAN3): entenda por que as ações da holding derreteram 34% em 2024

Mais na Exame