Minhas Finanças

Receita abre consulta a lote da malha fina do IR na segunda

Ao todo, a Receita pagará R$ 300 milhões


	Notas de real: a relação dos contribuintes estará disponível na página da Receita
 (Arquivo/Agência Brasil)

Notas de real: a relação dos contribuintes estará disponível na página da Receita (Arquivo/Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 7 de fevereiro de 2015 às 14h42.

A partir das 9h de segunda-feira (9), 160.715 contribuintes saberão que foram excluídos da malha fina. A Receita Federal liberará a consulta aos lotes residuais do Imposto de Renda Pessoa Física das declarações de 2008 (ano-base 2007) a 2014 (ano-base 2013).

Ao todo, a Receita pagará R$ 300 milhões. As restituições terão correção de 9,11%, relativa às declarações de 2014, a 66,69%, para as declarações de 2008. Os índices equivalem à taxa Selic – juros básicos da economia – acumulada entre o mês de entrega da declaração até este mês.

A relação dos contribuintes estará disponível na página da Receita Federal na internet. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146 ou nos aplicativos da Receita Federal para tablets e smartphones.

Caso o valor não seja creditado nas contas informadas na declaração, o contribuinte deverá receber o dinheiro em qualquer agência do Banco do Brasil. Também é possível ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, no nome do declarante, em qualquer banco.

Confira o detalhamento do número de contribuintes beneficiados e os índices de correção para cada ano:

Acompanhe tudo sobre:Imposto de Renda 2020ImpostosLeãoMalha finareceita-federal

Mais de Minhas Finanças

Mega-sena acumula novamente e prêmio vai a R$ 65 milhões

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2752: prêmio acumulado é de R$ 58,1 milhões

Receita libera consulta ao 3º lote de restituição do IR 2024; veja como consultar

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio acumulado em R$ 61 milhões

Mais na Exame