Open banking: quarta fase começa com dados de investimentos e seguros

Nova etapa permite o compartilhamento de dados de produtos e serviços de seguros, investimentos etc. das instituições; dados transacionais dos clientes só em maio de 2022
Com o open banking, o cliente de produtos e serviços bancários deverá ter acesso a ofertas mais personalizadas com custos mais baixos | Foto: GettyImages (Prostock-Studio/Getty Images)
Com o open banking, o cliente de produtos e serviços bancários deverá ter acesso a ofertas mais personalizadas com custos mais baixos | Foto: GettyImages (Prostock-Studio/Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 15/12/2021 07:13 | Última atualização em 15/12/2021 10:26Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Começa nesta quarta-feira, dia 15, a quarta fase do Open Banking, sistema que permite ao cliente de produtos e serviços financeiros o compartilhamento de suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central. O objetivo é aumentar a concorrência e, por fim, melhorar a qualidade do atendimento ao cliente.

Com o Open Banking -- ou Open Finance, dado que ele vai além de serviços bancários tradicionais -- totalmente em operação, clientes poderão movimentar suas contas bancárias de forma segura e ágil a partir de diferentes plataformas, e não apenas por meio do aplicativo ou site (versão internet banking) da instituição.

Na quarta fase, passa a ser permitido o compartilhamento de informações sobre produtos de investimentos, previdência, seguros, operações de câmbio, entre outros, ofertados e distribuídos no mercado.

Quer inovar na sua maneira de usar serviços financeiros e bancários? Conheça o BTG+

É importante destacar que o compartilhamento das informações sobre cada cliente só pode acontecer com a expressa autorização do mesmo.

A adoção do Open Banking permite o surgimento de novas soluções para a oferta e a contração de produtos e serviços financeiros, mais integrados, personalizados e acessíveis, sempre com o consumidor no centro das decisões. Isso porque, com autorização, qualquer instituição financeira, de posse das informações do histórico e das preferências do cliente, terá condições de fazer ofertas customizadas, algo que, até então, só era possível ao banco em que ele tinha conta.

Segundo o Banco Central, a implementação da quarta fase vai ocorrer com o seguinte calendário:

15 de dezembro: Começa o compartilhamento de dados de produtos e serviços de seguros, investimentos, câmbio, entre outros, disponibilizados pelas instituições participantes.

31 de maio de 2022: Começa o compartilhamento de dados transacionais referentes a seguros, investimentos, operações de câmbio, entre outros, do cliente, mediante sua prévia autorização.