Acompanhe:

Presidente do Facebook diz que não prevê data para IPO

Palos Verdes, EUA - Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, disse que não tem em mente uma data precisa para abrir o capital de sua empresa de redes sociais e defendeu as mudanças no serviço que despertaram preocupações sobre a privacidade dos usuários. A maior rede social do planeta revelou na semana passada um novo conjunto […]

Modo escuro

Continua após a publicidade
EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

A
Alexei Oreskovic

Publicado em 4 de junho de 2010 às, 17h38.

Palos Verdes, EUA - Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, disse que não tem em mente uma data precisa para abrir o capital de sua empresa de redes sociais e defendeu as mudanças no serviço que despertaram preocupações sobre a privacidade dos usuários.

A maior rede social do planeta revelou na semana passada um novo conjunto de controles que oferece ao seu meio bilhão de usuários mais controle sobre os dados que eles compartilham com o público.

Mas Zuckerberg disse que ampliar limites sobre outros aspectos do Facebook, por exemplo o novo recurso de "personalização instantânea" que automaticamente compartilha dados pessoais dos usuários com sites como Pandora e Yelp, é parte do que faz do Facebook uma empresa inovadora.

"Certamente, de modo geral seria mais fácil se não lançássemos essas perturbações", disse Zuckerberg na conferência All Things Digital. "Mas não acreditamos que, ao agirmos assim, estaríamos procedendo da melhor maneira para nós ou para o setor no longo prazo", acrescentou.

O Facebook continuará a fazer as mudanças que acredita corretas, mesmo que algumas delas sejam controversas, disse.

A companhia se tornou um dos maiores serviços mundiais de Internet e é observada de perto por investidores que esperam um dia poder comprar em bolsa ações de uma companhia que atravessa rápido crescimento.

O Facebook está oferecendo desafio cada vez mais forte a líderes estabelecidos da Internet, a exemplo do Yahoo e Google, na disputa pelo tempo dos usuários e pelas verbas de publicidade, enquanto tenta manter um complicado equilíbrio entre a proteção à privacidade e a promoção do compartilhamento de dados por seus usuários.

Zuckerberg, 26, co-fundou o Facebook quando era aluno da Universidade Harvard, em 2004; perguntado se pretendia continuar como presidente-executivo caso a empresa abrisse seu capital, ele respondeu que sim, acrescentando que não pensava -muito- sobre abrir o capital da empresa. Ele acrescentou não ter em mente uma data para uma possível abertura de capital.

Últimas Notícias

Ver mais
Vale registra lucro de US$ 7,983 bi em 2023, queda de 52%, enquanto comando segue indefinido
seloMercados

Vale registra lucro de US$ 7,983 bi em 2023, queda de 52%, enquanto comando segue indefinido

Há 10 horas

B3: Lucro liquido recorrente cai 8,2% em 12 meses, para R$ 1,057 bi no 4º trimestre
seloMercados

B3: Lucro liquido recorrente cai 8,2% em 12 meses, para R$ 1,057 bi no 4º trimestre

Há 10 horas

Nestlé registra em 2023 receita de US$ 105,55 bi, recuo de 1,5% ante 2022; lucro cresce 20,9%
seloMercados

Nestlé registra em 2023 receita de US$ 105,55 bi, recuo de 1,5% ante 2022; lucro cresce 20,9%

Há 15 horas

Bolsas da Europa fecham em alta e índice Stoxx 600 tem máxima histórica; Mercedes acelera autos
seloMercados

Bolsas da Europa fecham em alta e índice Stoxx 600 tem máxima histórica; Mercedes acelera autos

Há 15 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais