Mercados

Preço do petróleo sobe antes de feriado nos EUA e reunião da Opep

Preços da commodity receberam certo impulso com o fechamento parcial do oleoduto Keystone, da TransCanada

Petróleo: na quinta-feira, os mercados estarão fechados nos EUA por causa do feriado nacional, o que pode reduzir o volume de negócios na semana (Mike Stone/Reuters)

Petróleo: na quinta-feira, os mercados estarão fechados nos EUA por causa do feriado nacional, o que pode reduzir o volume de negócios na semana (Mike Stone/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 21 de novembro de 2017 às 09h58.

Londres - Os contratos futuros de petróleo operam com ganhos nesta terça-feira, antes do feriado do Dia de Ação de Graças e de uma reunião de importantes produtores da commodity para discutir a possível expansão no acordo para cortar a oferta.

Às 9h44 (de Brasília), o petróleo WTI para janeiro subia 0,27%, a US$ 56,57 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para janeiro avançava 0,23%, a US$ 62,36 o barril, na ICE.

Na quinta-feira, os mercados estarão fechados nos EUA por causa do feriado nacional, o que pode reduzir o volume de negócios na semana.

Os preços da commodity receberam certo impulso com o fechamento parcial do oleoduto Keystone, da TransCanada, depois de um vazamento de petróleo na semana passada, disseram analistas.

"Ainda está na faixa que temos visto na semana passada. Temos os feriados de Ação de Graças e alguns problemas na oferta também dão um pouco de apoio", disse Olivier Jakob, diretor-gerente da consultoria Petromatrix.

Ainda assim, a maioria dos investidores aguarda para ver o resultado da reunião da Opep e de outros produtores, como a Rússia, marcada para o dia 30.

O acordo para reduzir a produção pode ser estendido do prazo previsto, de março, para todo o próximo ano. A Arábia Saudita já se mostrou comprometida com a iniciativa, mas analistas veem a Rússia menos propensa a aceitar isso.

O ministro da Energia russo, Alexander Novak, deve dialogar nesta terça-feira com executivos de companhias russas do setor.

Alguns analistas advertem que a reunião poderia ter um resultado surpreendente. Os economistas do Standard Chartered dizem que é mais provável haver desapontamento que uma surpresa positiva. Fonte: Dow Jones Newswires.

Acompanhe tudo sobre:Indústria do petróleoMercado financeiroPetróleoPreços

Mais de Mercados

B3 suspende negociação da Petrobras (PETR4) após divulgação de nova diretoria

Inflação baixou, mas Fed ficou mais conservador: o que aconteceu?

Petrobras (PETR4) paga dividendos extraordinários e regulares na próxima semana

"O corte de juros acabou e Copom unânime deve favorecer o câmbio", diz Ettore Marchetti, da EQI

Mais na Exame