Petrobras cai mais de 4% após governo pedir nova troca de presidente

Investidores temem que interferência na estatal coloque em risco política de paridade internacional de preços
 (Getty Images/Luiz Souza/NurPhoto)
(Getty Images/Luiz Souza/NurPhoto)
Por Guilherme GuilhermePublicado em 24/05/2022 07:43 | Última atualização em 24/05/2022 11:41Tempo de Leitura: 2 min de leitura

As ações da Petrobras chegam a cair mais de 4% (já considerando o efeito ex-dividendos) na B3 nesta terça-feira, 24, em uma forte reação do mercado à nova interferência do governo de Jair Bolsonaro na estatal.

Petrobras (PETR4): - 4,24%, R$ 31,17

José Mauro Ferreira Coelho, atual presidente da companhia, deve deixar o cargo com menos de dois meses no posto. Sua saída foi solicitada na última noite por meio de ofício do Ministério de Minas e Energia, que indicou Caio Mario Paes de Andrade para assumir a estatal. Paes de Andrade atualmente atua como secretário de Desburocratização do governo e, diferentemente de seu antecessor, não tem experiência no setor.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

A troca de nomes ocorre em meio aos sucessivos aumentos do preços de combustíveis pela Petrobras e a poucos meses das eleições presidenciais. O maior temor de investidores é de que a política de paridade internacional de preços da companhia seja ameaçada pelas ingerências na estatal.

As pressões sobre o aumento do combustível, por sinal, já custaram o cargo do próprio Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, substituído por Adolfo Sachsida há menos de duas semanas. 

Caio Mario Paes de Andrade é o quarto nome indicado pelo governo de Jair Bolsonaro ao cargo de presidente da Petrobras -- isso sem considerar Adriano Pires, que rejeitou assumir a companhia.