Mercados

Moody's atribui nota Ba2 a emissão de R$ 200 mi da Mills

Rating incorpora a liderança da empresa no mercado brasileiro, explica agência


	Segundo a Moody's, a empresa encontra-se bem posicionada para beneficiar-se do crescimento no setor de construção brasileiro
 (Rogério Montenegro)

Segundo a Moody's, a empresa encontra-se bem posicionada para beneficiar-se do crescimento no setor de construção brasileiro (Rogério Montenegro)

DR

Da Redação

Publicado em 20 de agosto de 2012 às 11h49.

São Paulo – A Moody's atribuiu rating Ba2 a 200 milhões de reais em debêntures da Mills Estruturas e Serviços de Engenharia (MILS3). Simultaneamente, a agência de classificação de risco também afirmou a nota Ba2 da Mills e de outros 270 milhões de reais em debêntures. A perspectiva de todos os ratings permanece estável.

Segundo comunicado enviado pela agência nesta sexta-feira ao mercado, a nota incorpora a posição da Mills de liderança no mercado brasileiro. “A empresa encontra-se bem posicionada para beneficiar-se do crescimento no setor de construção brasileiro, o qual esperamos que continuará nos próximos anos”, informou.

A perspectiva estável do rating considera que a Mills continuará com sua gestão prudente de dividendos. A perspectiva também considera os benefícios do crescimento do setor de construção e dos investimentos em infraestrutura do Brasil, que permitirão a empresa expandir suas operações principalmente de forma orgânica ao invés de aquisições.

Segundo informou, as notas poderão ser negativamente afetadas caso a empresa apresente um fluxo de caixa livre significativamente negativo continuamente. Uma pressão para rebaixamento também pode surgir caso a empresa não consiga manter seus níveis atuais de margem e sua posição de liderança nas principais linhas de negócios.

Acompanhe tudo sobre:Agências de ratingConstrução civilMercado financeiroMillsMoody'sRating

Mais de Mercados

Receita Federal autoriza a Temu a operar no Remessa Conforme e vender para o Brasil

Morre Ivan Boesky, condenado por escândalos de insider trading nos anos 1980

Vice-presidente do Fed diz que ainda há 'um caminho pela frente' na questão da inflação

Bolsas da Europa fecham em alta, com perspectivas para postura de BCs e commodities

Mais na Exame