Light (LIGT3) nomeia Octávio Cortes Pereira Lopes como novo CEO da companhia

Lopes, que já fez parte do Conselho de Administração da empresa, irá assumir o cargo a partir do dia 15 de agosto
 (Anton Petrus/Getty Images)
(Anton Petrus/Getty Images)
Roberto Bodetti
Roberto Bodetti

Publicado em 13/07/2022 às 10:14.

Última atualização em 13/07/2022 às 16:41.

O Conselho de Administração da Light (LIGT3) nomeou nesta quarta-feira, 13, o economista Octavio Cortes Pereira Lopes como novo CEO da companhia.

Lopes irá assumir o cargo de liderança na Light a partir do dia 15 de agosto. Até aquela data, Wilson Martins Poit continuará exercendo a função como presidente interino.

A informação foi divulgada pela própria Light em fato relevante depositado na Comissão de Valores Mobiliário (CVM).

O executivo é formado em economia pela Universidade de São Paulo e possui um MBA pela Wharton School na Universidade da Pensilvânia, da qual é membro do Executive Board for Latin America desde 2008.

No passado, Lopes já foi foi fundador e CEO da Equatorial Energia, CEO da Magnesita Refratários e atualmente é CEO da Tok&Stok.

“Durante seu mandato na Equatorial Energia, foi responsável pela bem-sucedida reestruturação financeira e operacional de sua principal subsidiária, a CEMAR, e seu IPO em 2006”, informou a Light no fato relevante.

Além disso, Lopes atuou no conselho de administração de diversas companhias, ente elas

  • Light
  • Magnesita
  • RHI Magnesita
  • Equatorial Energia
  • CEMAR, San Antonio
  • Gafisa (GFSA3)
  • Webmotors
  • Submarino (hoje Americanas) (AMER3)

Mudança de liderança conturbada

Lopes vai substituir Raimundo Nonato Alencar de Castro, que deixou o cargo no final de junho por motivos pessoais.

A saída de Castro gerou uma desconfiança no mercado sobre a capacidade da empresa em realizar o turnaround.

Muitos analistas do mercado duvidam da capacidade da Light de reduzir as perdas acumuladas sem o apoio do poder público.

No dia da saída de Castro, a Light divulgou uma nota afirmando que prosseguirá o seu plano de ação, aprovado pelo Conselho de Administração, que tem como foco reduzir os prejuízos e voltar para a lucratividade.

“Os processos de turnaround Orçamento Base Zero (OBZ) e a redução de custos, atualmente em curso, seguem conforme o planejado”, informou a Light na ocasião.

Resultados da Light (LIGT3) no 1T22

No primeiro trimestre do ano a Light registrou um prejuízo líquido de R$ 106 milhões, um aumento de 153% se comparado com 2021 onde o prejuízo da companhia foi de R$ 41,7 milhões.

A receita líquida nos três primeiros meses do ano foi de R$ 3,552 bilhões, uma queda de 4,1% se comparado ano a ano.

O lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 525,5 milhões. O número apresenta um aumento de 25,2% sobre o Ebitda de R$ 419,8 milhões em comparação com o ano passado.

Desempenho da ação da Light

Desde o começo do ano, a ação da Light está caindo de forma intensa na B3 (B3SA3), perdendo 52,43% do seu valor.