Dados de emprego nos EUA, Suzano e o que mais move o mercado

Mercado internacional inicia sexta-feira em alta à espera de números do payroll; Ibovespa vem de maior alta no ano
Placa de "estamos contratando" da 7Eleven, em Pensilvânia, nos EUA | Foto: Paul Weaver/SOPA Images/LightRocket via Getty Images (Paul Weaver/SOPA Images/LightRocket via/Getty Images)
Placa de "estamos contratando" da 7Eleven, em Pensilvânia, nos EUA | Foto: Paul Weaver/SOPA Images/LightRocket via Getty Images (Paul Weaver/SOPA Images/LightRocket via/Getty Images)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 03/12/2021 às 07:04.

Última atualização em 03/12/2021 às 15:34.

Errata: Diferentemente do informado na versão original da matéria, a AES Tietê, que deixou de existir ao ser incorporada pela AES Brasil, não estava nem está em recuperação judicial. A empresa em recuperação judicial é a Rodovias Tietê.

As bolsas de valores avançam no exterior, nesta sexta-feira, 3, enquanto investidores aguardam pela divulgação dos dados oficiais do mercado de trabalho americano, previsto para serem divulgados às 10h30.

Considerado um dos principais números da economia americana, o payroll, o relatório de empregos não agrícolas dos Estados Unidos, deve apresentar a criação de 555.000 postos de trabalho em novembro, segundo as projeções de mercado, acima dos 531.000 apresentados no mês anterior. Para a taxa de desemprego, a expectativa é de uma leve redução de 4,6% para 4,5%. 

A divulgação dos dados de desemprego ocorre na mesma semana em que o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, emitiu sinais de que aceleraria o processo de retirada de estímulos, dado a recuperação da economia americana e os altos níveis de inflação. 

No meio da semana, os dados do Instituto ADP, conhecidos como "prévia do payroll", superaram as estimativas de mercado, apontando para o crescimento de 534.000 empregos privados, acima dos 525.000 novos postos esperados.

Ainda na agenda macroeconômica, nesta manhã, saíram na Europa os índices de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês), quase todos levemente abaixo das expectativas. Porém, os efeitos no mercado foram limitados e as bolsas do continente seguem em tom positivo, após terem registrado perdas no dia anterior. 

Maior alta do ano

O cenário foi bem diferente do apresentado pelo Ibovespa, que registrou sua maior alta do ano na última sessão, fechando com ganhos de 3,66%, refletindo a aprovação da PEC dos Precatórios pelo Senado e saindo do pior patamar desde novembro do ano passado. Com a PEC aprovada com alterações, o texto voltará para a Câmara. 

Por aqui, o principal dado do dia será o de produção industrial de outubro. A expectativa, segundo a Bloomberg, é de alta mensal de 0,8% ante a queda de 0,4% no mês anterior. Na comparação anual, contudo, espera-se uma queda de 5,1% ante a de 3,9% de setembro.

Suzano: mais investimentos

Principal nome da indústria de papel e celulose do Brasil, a Suzano (SUZB3) revisou suas projeções de investimento para o ano que vem para 13,6 bilhões de reais, sendo a maior parte (7,3 bilhões de reais) destinada ao Projeto Cerrado, que envolve a construção da fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul. A quantidade de investimentos previstos para o ano que vem é mais do que o dobro dos 6,2 bilhões projetados para este ano.