Mercados

China vai incentivar mais IPOs de estatais a partir deste ano

"A China continuará a impulsionar algumas empresas estatais qualificadas em 2011", disse Wang, segundo o Jornal de Valores Mobiliários

Em 2010, o IPO do Agricultural Bank of China em Xangai recebeu uma demanda de investidores institucionais 20 vezes maior que ofertado (FREDERIC J. BROWN/AFP)

Em 2010, o IPO do Agricultural Bank of China em Xangai recebeu uma demanda de investidores institucionais 20 vezes maior que ofertado (FREDERIC J. BROWN/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de janeiro de 2011 às 16h56.

Pequim/Xangai - A China vai incentivar mais empresas estatais a ter ações no mercado a partir de 2011, com o objetivo de aumentar a percentagem de ativos do Estado negociados em bolsa, um oficial sênior disse em comentários publicados neste sábado.

Wang Yong, chefe da Comissão de Supervisão e Administração de Ativos (CSAA), disse em uma reunião que a agência vai "fazer avançar a reestruturação das empresas estatais e melhorar a eficiência da alocação de ativos do Estado", segundo um comunicado divulgado em jornais financeiros oficiais.

"A China continuará a impulsionar algumas empresas estatais qualificadas em 2011", disse Wang, segundo o Jornal de Valores Mobiliários.

Ele acrescentou que o órgão tentará diversificar a propriedade de empresas estatais durante o período de "plano quinquenal" para o desenvolvimento econômico, que vai de 2011-2015.

A promessa de mais ofertas públicas iniciais de empresas estatais poderia continuar a fazer da China um mercado de IPO superior nos próximos anos. A China foi a líder do mercado mundial de IPO em 2010, com empresas que movimentando mais de 400 bilhões de yuans (US $ 60 bilhões) em Xangai e Shenzhen.

O fluxo constante de novas ofertas também podem continuar a colocar pressão sobre o mercado de ações do país. O Índice Composto de Shanghai caiu 14 por cento no ano passado, em parte por causa da correria do mercado por ações novas.

O órgão chefiado por Wang controla atualmente 1.038 empresas que estão listadas nas bolsas da China e no exterior, acrescentou o jornal.

Pequim tem mudado a forma de administrar empresas estatais, com vistas a trazer maior benefício para os cofres públicos.

O Ministério das Finanças disse no mês passado que iria aumentar os dividendos pagos pelas empresas estatais para até 15 por cento, proporcionando mais recursos para os gastos do governo, desde a educação até despesas militares.

Acompanhe tudo sobre:AçõesÁsiaChinaIPOsMercado financeiro

Mais de Mercados

O plano da Reag para reerguer a GetNinjas (NINJ3)

Bolsas da Europa fecham em baixa, devolvendo parte dos ganhos em dia de CPI da zona do euro

Gavekal: inflação machuca, mas é a pobreza o maior problema dos EUA

Ibovespa fecha perto da estabilidade dividido entre Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4)

Mais na Exame