Mercados

Camil Alimentos protocola pedido na CVM para abrir capital

Quantidade de ações e preço estipulado ainda não foram divulgados

Montante da operação será utilizado pelos acionistas para ampliar algumas plantas da companhia (Mario Tama/Getty Images)

Montante da operação será utilizado pelos acionistas para ampliar algumas plantas da companhia (Mario Tama/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de fevereiro de 2011 às 11h17.

São Paulo – A Camil Alimentos, maior processadora de arroz da América Latina, planeja abrir o capital da empresa. A companhia enviou para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um registro para fazer uma oferta primária e secundária de ações ordinárias.

O coordenador líder do IPO (Oferta Inicial de Ações, na sigla em inglês) da Camil será o Credit Suisse (Brasil), que contará com o auxílio do Santander e do Bradesco como coordenadores.

A quantidade de ações que serão ofertadas e o preço estipulado pelos coordenadores da operação ainda não foram divulgados em prospecto preliminar. O período de reserva das ações também não foi determinado.

Entre os acionistas vendedores, o destaque vai para Jairo Santos Quartiero, presidente da companhia, além de outros três integrantes de sua família (Jacques Maggi Quartiero, Luciano Maggi Quartiero e Thiago Maggi Quartiero).

A Camil planeja utilizar aproximadamente 20% dos recursos que obter com a oferta de ações na abertura de novas plantas, principalmente para ampliar sua produção de arroz, feijão e outros grãos, além de atualizar as fábricas atuais.

Cerca de 25% do total captado será usado na aquisição de marcas, produtos, linhas de negócio, e beneficiadores do setor de alimentos, no Brasil e na América Latina, que estejam alinhados com os nossos negócios.

Já cerca de 35% será usado na amortização parcial ou total de contratos de dívida. Os 20% restantes serão usados para adquirir ações representativas de 100% do capital  social total de um beneficiador e distribuidor de alimentos processados enlatados não grãos ou cereais no Brasil.

Acompanhe tudo sobre:AcionistasAçõesAlimentaçãoBancosbolsas-de-valoresCamil AlimentosEmpresasFinançasIPOsMercado financeiro

Mais de Mercados

“Nova revolução”: como os maiores bancos do Brasil estão se preparando para lidar com a IA

Ibovespa opera em queda com investidores repercutindo ata do Copom; dólar sobe a R$ 5,43

Ata do Copom, Galípolo, arrecadação federal e falas do Fed: o que move o mercado

Nvidia tem forte queda e perde US$ 500 bi após ter se tornado empresa mais valiosa do mundo

Mais na Exame