Mercados

Ações da AstraZeneca caem 2% após conversas de fusão com a Gilead

A AztraZeneca vem atuando na produção de uma vacina do coronavírus, enquanto a Gilead tem a patente do remdesivir, remédio que vem sendo usado no tratamento

AstraZeneca: empresa planeja entregar 2 bilhões de doses de vacina contra o coronavírus (Stefan Wermuth/Reuters)

AstraZeneca: empresa planeja entregar 2 bilhões de doses de vacina contra o coronavírus (Stefan Wermuth/Reuters)

CR

Carolina Riveira

Publicado em 8 de junho de 2020 às 08h38.

Última atualização em 8 de junho de 2020 às 08h48.

As ações da farmacêutica britânica AstraZeneca caíam cerca de 2,4% pouco depois das 8 horas desta segunda-feira, 8, antes da abertura do mercado, após notícias de que a empresa estaria em conversas informais de fusão com a americana Gilead.

A informação de uma possível fusão entre as duas farmacêuticas foi dada no fim de semana pela agência Bloomberg. As duas empresas estão na linha de frente dos esforços para pesquisas e tratamento contra o coronavírus.

A Gilead tem a patente do remdesivir, um dos remédios que vem sendo testados contra o vírus. Já a AstraZaneca atua em parceria para uma fabricar uma vacina contra a covid-19, que já começou a ser produzida e está em estágio avançado de testes.

A AstraZeneca tem capital aberto na bolsa de Londres, onde suas ações valiam cerca de 8.220 libras na manhã desta segunda-feira, após as quedas antes da abertura do mercado.

"Por que uma empresa crescendo mais de 10% estaria interessada em uma empresa crescendo um único dígito?", escreveu a casa de análise americana Evercore ISI escreveu em nota a clientes citada pela agência Reuters.

Ainda segundo a Bloomberg, a AstraZeneca procurou a Gilead há um mês. Os pontos específicos de uma potencial fusão não foram divulgados. A Gilead conversou sobre as vantagens de uma fusão com conselheiros, mas nenhuma decisão foi tomada e as empresas não estão tendo conversas formais por ora, diz a Bloomberg.

A AstraZeneca vale cerca de 140 bilhões de dólares na bolsa, sendo a maior farmacêutica do Reino Unido. A Gilead vale 96 bilhões de dólares.

Se as empresas forem adiante em um potencial fusão, seria um dos maiores negócios da história da indústria farmacêutica. A Reuters estima que, juntas, chegariam a valor de mercado de 232 bilhões de dólares, baseado nos valores das ações na sexta-feira, 5.

O negócio também seria potencialmente sensível e atrair a atenção de governos no momento em que ambas as empresas lideram esforços de pesquisa e desenvolvimento em meio à pandemia do coronavírus.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusRemdesivirVacinas

Mais de Mercados

STJ determina indenização de R$ 5 bilhões à CSN por disputa na Usiminas

Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, aumenta aposta no mercado de petróleo

Nvidia ultrapassa Microsoft e é a empresa mais valiosa do mundo

Petrobras (PETR4) aceita acordo tributário: isso impacta os dividendos?

Mais na Exame