Mercados

10 novidades sobre o mercado que você precisa saber

Capital Group vai investir R$ 450 milhões para entrar no Burger King Brasil com 31% de participação


	Burger King: investimento do Capital Group praticamente zera a dívida líquida da empresa
 (Daniel Acker/Bloomberg)

Burger King: investimento do Capital Group praticamente zera a dívida líquida da empresa (Daniel Acker/Bloomberg)

Luiza Calegari

Luiza Calegari

Publicado em 10 de agosto de 2016 às 07h36.

São Paulo - Confira as principais novidades do mercados desta quarta-feira (10):

Burger King vai receber R$ 450 milhões do Capital Group

A filial brasileira do Burger King vai receber um aporte de R$ 450 milhões para marcar a entrada do fundo Capital Group no capital da empresa, de acordo com o Valor Econômico.

Com este investimento, o Capital passará a ter 31% da rede. O dinheiro praticamente zera a dívida líquida do Burger King e reforça o investimento dos próximos anos.

Odebrecht Óleo e Gás deve pedir recuperação judicial

A Petrobras pediu para que a Odebrecht Óleo e Gás (OOG) paralise quatro de seis sondas de perfuração que estão em atividade. Com isso, a empresa pode vir a pedir recuperação judicial.

A Petrobras é a única cliente da OOG na área de perfuração, o que complica a situação da fornecedora. As dívidas da Odebrecht Óleo e Gás chegam a US$ 5 bilhões, segundo fontes.

Embraer é novo alvo de ação coletiva nos EUA

Acionistas norte-americanos entraram com uma ação coletiva contra a Embraer em tribunal de Nova York, alegando perdas com os papéis diante de acusações de suborno contra a empresa.

Segundo o Valor Econômico, a ação aponta que a Embraer violou as leis do mercado ao publicar informações falsas e não ter descoberto fatos que influenciam diretamente a própria empresa.

Dívida da Eletrobras cria impasse em venda da BR Distribuidora

Uma das principais barreiras para a negociação da BR Distribuidora, segundo o Valor Econômico, é a dívida que a Eletrobras tem com a empresa, que pode diminuir o valor do negócio.

Alguns dos interessados na BR chegaram a trabalhar com a perspectiva de um calote total das distribuidoras da Eletrobras na primeira rodada de negociações, de acordo com o jornal.

União Química vai às compras e pode receber novo sócio

A União Química está se preparando para comprar um ativo no setor, e a operação pode resultar na chegada de mais um sócio para a companhia, segundo o Valor Econômico.

O presidente da empresa afirmou que o negócio deve ser firmado ainda em 2016, e que, dependendo do tamanho da operação, a União Química talvez não precise recorrer a um fundo de private equity para concluir a compra.

Usiminas precisa de Ebitda de R$ 1,2 bi para bancar dívida

A Usiminas afirmou, em comunicado ao mercado, que tem como meta alcançar um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,2 bilhão, no mínimo, em 2017.

Esta meta é necessária para que a empresa consiga cumprir suas obrigações financeiras e planos de investimentos. Os valores não são projeções, a empresa ressaltou em nota.

Estaleiros nacionais renegociam R$ 8 bi com bancos e fornecedores

Os três principais estaleiros nacionais, Enseada, Atlântico Sul e Rio Grande, estão em processo de reestruturação e renegociam dívidas de R$ 8 bilhões com bancos e fornecedores.

Até pouco tempo símbolos da arrancada da indústria naval no país, os estaleiros foram afetados pelo ocaso da Sete Brasil, por denúncias de corrupção e diminuição da demanda interenacional por navios de exploração de petróleo.

P&G reduz volume de anúncios no Facebook

A empresa que mais gasta com publicidade no mundo vai diminuir os anúncios direcionados no Facebook. Segundo o Wall Street Journal, a P&G concluiu que a prática tem eficácia limitada.

Segundo o diretor de marketing da empresa, o esquema de direcionamento de anúncios do Facebook acabou restringindo o alcance da marca, e agora está na hora de buscar outras estratégias.

Senado aprova jugalmento e Dilma vira ré no impeachment

O Senado Federal definiu o destino do processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff (PT), que  a partir de agora vira ré e deve encarar o julgamento final.

Com 59 votos a favor e 21 contra, o Senado aprovou o parecer do senador Antonio Anastasia, relator do caso, pela continuidade do processo. 

Câmara aprova socorro a Estados sem congelar salários

A câmara aprovou o projeto de renegociação das dívidas dos Estados com a União por 282 votos a favor, 140 contra e duas abstenções. A sessão foi suspensa quando ainda faltava votar alguns destaques. O texto deve ser, então, encaminhado ao Senado.

Para aceitar a renegociação, o governo exigiu que os gastos primários dos Estados não ultrapassem o teto do gasto do ano anterior corrigido pela inflação. A cláusula que congelava os reajustes salariais por dois anos foi retirada.

Acompanhe tudo sobre:AçõesAtacadoBurger KingCâmara dos DeputadosCapitalização da PetrobrasCombustíveisComércioDilma RousseffEletrobrasEmbraerEmpresasEmpresas abertasEmpresas americanasEmpresas brasileirasEmpresas de internetEmpresas estataisEmpresas japonesasempresas-de-tecnologiaEnergia elétricaEstados brasileirosEstatais brasileirasFacebookFast foodHoldingsImpeachmentIndústriaIndústria do petróleoIndústria navalInternetMercado financeiroNovonor (ex-Odebrecht)PersonalidadesPetrobrasPetróleoPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPT – Partido dos TrabalhadoresRedes sociaisRestaurantesSenadoServiçosSete BrasilSetor de transporteSiderurgiaSiderurgia e metalurgiaSiderúrgicasUnião QuímicaUsiminasVibra Energia

Mais de Mercados

O plano da Reag para reerguer a GetNinjas (NINJ3)

Bolsas da Europa fecham em baixa, devolvendo parte dos ganhos em dia de CPI da zona do euro

Gavekal: inflação machuca, mas é a pobreza o maior problema dos EUA

Ibovespa fecha perto da estabilidade dividido entre Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4)

Mais na Exame