Inteligência Artificial

Tinder expande verificação de identidade para combater golpes com perfis criados por IA

Novo sistema é implantado nos EUA, Brasil, Reino Unido e México. Será exigido uma carteira de motorista ou passaporte válido e um vídeo gravado pelo próprio usuário

Tinder: app de relacionamento é um dos mais populares entre os solteiros (Jakub Porzycki/Getty Images)

Tinder: app de relacionamento é um dos mais populares entre os solteiros (Jakub Porzycki/Getty Images)

Bloomberg
Bloomberg

Agência de notícias

Publicado em 20 de fevereiro de 2024 às 16h51.

Última atualização em 20 de fevereiro de 2024 às 16h52.

O Tinder está expandindo seu programa de verificação de identidade em um momento em que a inteligência artificial pode dificultar a identificação de quem é real e de que perfis são falsos, já que os golpes estão aumentando nos aplicativos de namoro.

Plataforma de namoro mais popular do mundo, o Tinder está implantando o novo sistema nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Brasil e no México gradualmente. Vai começar a funcionar nas próximas semanas.

A empresa já está testando o recurso na Austrália e na Nova Zelândia, onde as pessoas que foram verificadas tiveram um aumento de 67% nos matches em comparação com aquelas que não foram verificadas, informou a empresa em um comunicado nesta terça-feira.

Como será a verificação do perfil?

O processo exige uma carteira de motorista ou passaporte válido e um vídeo gravado pelo próprio usuário. Um fornecedor terceirizado verifica a data de nascimento e se o rosto na selfie do vídeo corresponde às fotos do perfil e à identificação do indivíduo.

Depois que o usuário envia as informações, normalmente leva cerca de um a dois minutos para ser aprovado. Se o usuário concluir a verificação da identidade e da foto, uma marca de seleção azul aparecerá em seu perfil.

-- Algumas das coisas que estamos vendo com a Geração Z é uma necessidade e um desejo realmente profundos de autenticidade -- disse Faye Iosotaluno, CEO do Tinder. -- Um foco importante para nós é como podemos ajudar a trazer o eu autêntico das pessoas para o primeiro plano em seus perfis e em sua experiência.

Uma das empresas do conglomerado digital Match Group, o Tinder vem desenvolvendo seu sistema de verificação de identidade há anos e o lançou pela primeira vez no Japão, em 2019.

A empresa está gradualmente adicionando novos países à lista, mas a introdução de ferramentas de identificação é complexa e cheia de nuances. Desenvolvimentos recentes tornaram a tecnologia ainda mais urgente.

Alerta aos turistas

Em janeiro, a Embaixada dos Estados Unidos na Colômbia alertou os viajantes que houve um aumento no último ano de relatos de criminosos que usam aplicativos de namoro on-line para atrair vítimas, muitas vezes turistas em visita ao país, que depois são drogadas e roubadas.

O Tinder notificou seus usuários na Colômbia para que "lembrem-se de verificar seus pares, encontrarem-se em locais públicos e compartilharem planos com pessoas em quem confiam. Se algo parecer estranho, você pode encerrar o encontro".

Em setembro passado, a Austrália ordenou que os aplicativos de namoro desenvolvessem um código de conduta voluntário que abordasse as questões de segurança, depois que um estudo do Instituto Australiano de Criminologia revelou que 72% de vítimas de violência sexual ouvidas revelaram que o crime foi facilitado por aplicativos de namoro.

Como a IA é usada em perfis falsos

Embora os golpes românticos tenham uma história longa e obscura, a tecnologia moderna trouxe uma nova dimensão. Como em muitos outros setores, a inteligência artificial também se tornou uma preocupação real no mundo dos relacionamentos.

Em um esquema conhecido como "pig butchering", os fraudadores estão usando imagens geradas por IA para desenvolver perfis de namoro exclusivos e enganar as pessoas para que entreguem seu dinheiro. Somente em 2022, os golpes de romance resultaram em perdas de US$ 1,3 bilhão para as vítimas, de acordo com a Comissão Federal de Comércio dos EUA.

Campanhas publicitárias para melhorar a marca

A Match fez da atração da Geração Z e de usuários do sexo feminino uma prioridade para manter um ecossistema saudável no aplicativo. A empresa sediada em Dallas lançou campanhas publicitárias chamativas no metrô e nas mídias sociais em um esforço para mudar sua marca e ir além de ser "apenas um aplicativo para encontros", para um aplicativo em que as pessoas também possam criar conexões reais. A empresa também quer garantir que essas conexões sejam seguras.

"As pessoas querem se sentir seguras e confiantes ao se conectarem e se comunicarem com seus pares, e nós aplaudimos o Tinder por oferecer aos usuários essa opção adicional para ajudar a confirmar que seu par é a pessoa em seu perfil", afirmou Pamela Zaballa, CEO da NO MORE, uma organização que luta para acabar com a violência sexual, em uma declaração fornecida pelo Match.

Acompanhe tudo sobre:Tinder

Mais de Inteligência Artificial

Nova lei na Califórnia quer "botão de desligar" da IA e gera oposição das empresas de tecnologia

IA da Domino's prevê pedidos de pizza antes de serem feitos

Adobe atualiza termos de uso e sugere usar artes feitas por usuários para treinar IAs

Como a inteligência artificial pode mudar a vida de pessoas autistas

Mais na Exame