Inteligência Artificial

OpenAI quer vender mais ações para chegar em avaliação de US$ 90 bilhões

A startup de inteligência artificial, detentora do ChatGPT, projeta receita de US$ 1 bilhão para este ano

Sam Altman: CEO da OpenAI (Joel Saget/Getty Images)

Sam Altman: CEO da OpenAI (Joel Saget/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 26 de setembro de 2023 às 16h51.

Última atualização em 26 de setembro de 2023 às 16h59.

A OpenAI, conhecida por seu desenvolvimento no ChatGPT, está em conversas com investidores sobre uma possível venda de ações que poderia avaliar a empresa entre US$ 80 bilhões e US$ 90 bilhões.

Esse valor representa quase o triplo do início deste ano, segundo fontes próximas às negociações.

Com 49% de suas ações nas mãos da Microsoft, a OpenAI informou aos investidores que prevê atingir a marca de US$ 1 bilhão em receita ainda em 2023, com expectativas de gerar vários bilhões adicionais em 2024.

A principal fonte de receita da empresa vem da cobrança pelo acesso a uma versão avançada do ChatGPT e do licenciamento de seus modelos de linguagem para empresas.

A transação em discussão visa permitir que os funcionários vendam suas ações existentes, em vez de a empresa emitir novas ações para captar mais capital. Representantes da OpenAI já iniciaram as negociações com investidores, embora os termos possam sofrer alterações.

Com essa avaliação, a OpenAI se posicionaria entre as startups globais de maior valor, ficando atrás apenas de empresas como a SpaceX, de Elon Musk, e a ByteDance, proprietária do TikTok.

Acompanhe tudo sobre:OpenAISam AltmanChatGPTInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Desmistificando a IA: como ela está transformando negócios e carreiras

IA vira arma para hackers e empresas se encontram sem profissionais qualificados

Para surfar a onda da IA, Samsung promete aos clientes fábrica de chips 20% mais rápida

Amazon enfrenta desafios para integrar IA generativa na Alexa, revelam ex-funcionários

Mais na Exame