Inteligência Artificial

Nvidia é processada por uso de obras para treinar IA

O autores do processo listaram algumas obras literarias encontradas nos bancos de referências da IA da empresa

Nvidia: livros protegidos por direitos autorais teriam sido usados sem permissão para treinar plataforma de inteligência artificial NeMo (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

Nvidia: livros protegidos por direitos autorais teriam sido usados sem permissão para treinar plataforma de inteligência artificial NeMo (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

Publicado em 11 de março de 2024 às 09h10.

A Nvidia, fabricante queridinha dos mercados por seus chips de inteligência artificial, foi processada por três autores que afirmam que ela usou seus livros protegidos por direitos autorais sem permissão para treinar sua plataforma de inteligência artificial NeMo. As informações são da agência de notícias Reuters.

Brian Keene, Abdi Nazemian e Stewart O'Nan disseram que suas obras faziam parte de um conjunto de dados de cerca de 196.640 livros que ajudaram a treinar o NeMo para simular linguagem escrita, antes de serem removidos em outubro "devido a relatos de violação de direitos autorais".

Em uma ação coletiva protocolada na noite da última sexta-feira, 8, no tribunal federal de San Francisco, os autores disseram que a remoção reflete o reconhecimento da Nvidia de que treinou o NeMo com o conjunto de dados, infringindo assim seus direitos autorais.

Entre as obras abrangidas pelo processo estão o romance de 2008 de Keene "Ghost Walk", o romance de 2019 de Nazemian "Like a Love Story" e a novela de 2007 de O'Nan "Last Night at the Lobster".

Nem a Nvidia nem os advogados dos autores responderam aos pedidos da Reuters de comentários adicionais.

Acompanhe tudo sobre:NvidiaInteligência artificialProcessos judiciais

Mais de Inteligência Artificial

Nova IA para Alexa? Amazon vai atualizar serviço e pretende cobrar por isso, diz site

A IA no cotidiano: entre a produtividade e o riso

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Mais na Exame