• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Embraer firma parceria para desenvolver combustíveis sustentáveis

A iniciativa feita em parceria com a Pratt & Whitney tem como incentivo as metas ambientais da indústria da aviação, incluindo a de atingir zero emissões líquidas de CO2 nos voos até 2050
Embraer: companhia já tem um histórico reconhecido de inovação em combustíveis sustentáveis, o que inclui a primeira aeronave certificada a operar com etanol, em 2004 (Divulgação/Embraer)
Embraer: companhia já tem um histórico reconhecido de inovação em combustíveis sustentáveis, o que inclui a primeira aeronave certificada a operar com etanol, em 2004 (Divulgação/Embraer)
Por Laura PanciniPublicado em 01/12/2021 10:04 | Última atualização em 02/12/2021 10:04Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Embraer anunciou nesta segunda-feira, 30, uma parceria com a fabricante de motores de aviões Pratt & Whitney para desenvolver estudos sobre combustíveis sustentáveis. A iniciativa tem como incentivo as metas ambientais da indústria da aviação, incluindo a de atingir zero emissões líquidas de CO2 nos voos até 2050. 

A empresa brasileira quer definir um plano integrado de testes de solo e voo com uso de 100% do Combustível de Aviação 100% Sustentável (SAF, na sigla em inglês).

O SAF será utilizado em sua aeronave E195-E2, apresentado semana passada pela companhia, e com motores da fabricante norte-americana. O jato é considerado o mais sustentável de sua categoria, com 24% em melhoria de eficiência de combustível e emissões mais baixas de CO2 por assento do que sua geração anterior.

Já o SAF é produzido a partir de matérias-primas renováveis, como óleo de cozinha usado ou resíduos sólidos urbanos. Ele  tem papel importante para a descarbonização das viagens aéreas, podendo reduzir as emissões de CO2 do ciclo de vida em até 80% em comparação com o combustível fóssil.

Atualmente, os padrões técnicos internacionais permitem que aeronaves operem com SAF em misturas de até 50% com querosene. A colaboração entre fabricantes aeronáuticos (OEMs, na sigla em inglês), fornecedores de combustível e reguladores permitirá que novos padrões certifiquem a operação com 100% SAF.

A Embraer já tem um histórico reconhecido de inovação em combustíveis sustentáveis, o que inclui a primeira aeronave certificada a operar com etanol, em 2004. Já a Pratt & Whitney atua em testes e certificação de SAF há quase duas décadas.

“Temos o compromisso de aprimorar continuamente a eficiência e o desempenho de nossos produtos e, ao ampliar ainda mais sua compatibilidade com o SAF, possibilitaremos que nossos clientes operem da forma mais sustentável possível”, disse Arjan Meijer, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial.