Live icon 

ELEIÇÕES 2022:  

Lula e Bolsonaro vão disputar o segundo turno Veja agora.

Carregar eletrônicos com o corpo? Nova tecnologia torna isso possível

Tecnologia "body-coupling" transforma o corpo humano em condutor de energia; sistema pode carregar até 10 dispositivos
 (Reprodução/Thinkstock)
(Reprodução/Thinkstock)
L
Laura PanciniPublicado em 17/06/2021 às 11:34.

Pesquisadores da Universidade Nacional de Cingapura (NUS) desenvolveram uma tecnologia que permite que um único aparelho eletrônico alimente outros dispositivos sem fio, apenas usando o corpo humano como meio de transmissão de energia.

De acordo com a equipe, o carregamento sem fio pode ser limitado pela presença de um corpo sólido. Portanto, eles pensaram em usar o corpo como condutor, ao invés de enxergá-lo como um problema a ser resolvido.

A tecnologia se chama body-coupling (algo como "junção ao corpo", em português) e, para funcionar, o usuário precisaria usar receptores e transmissores. Cada um deles teria um chip para juntar e aumentar a cobertura pelo corpo todo.

O estudo, publicado na revista Nature Electronics, mostra que o sistema permite que uma única fonte de energia, desde que esteja totalmente carregada, carregue até 10 dispositivos por um período de mais de 10 horas. Apenas um transmissor precisaria ser colocado na fonte de energia principal para a tecnologia funcionar.

Assim, o usuário só precisa carregar um dispositivo, enquanto os demais podem ser ligados simultaneamente a partir dessa única fonte. A tecnologia também pode coletar energia não utilizada de eletrônicos pela casa.

"As baterias estão entre os componentes mais caros em dispositivos vestíveis e adicionam volume ao design", disse Jerald Yoo, professor da NUS. "Nosso sistema exclusivo tem o potencial de omitir a necessidade de baterias, permitindo que os fabricantes miniaturizem os dispositivos enquanto reduzem significativamente o custo de produção."

De acordo com Yoo, os próximos passos serão incrementar o sistema, que ainda não será usado em produtos comerciais.