Future of Money

Runes vê declínio em atividade em menos de 1 mês após estreia no Bitcoin

Novo protocolo que permite criação de tokens no blockchain do bitcoin foi lançado no mesmo dia do último halving da criptomoeda

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 13 de maio de 2024 às 14h02.

A atividade no protocolo Runes diminuiu significativamente desde sua primeira semana de negociação iniciada em 19 de abril na rede Bitcoin. Especificamente na última sexta-feira, 10, houve uma notável queda na atividade, com poucas novas emissões e novas carteiras interagindo com o protocolo em comparação com períodos anteriores.

De acordo com um painel de análise da Dune Analytics, a receita com taxas do protocolo tem diminuído constantemente. Embora o Runes ainda gere centenas de milhares de dólares diariamente em taxas no blockchain do bitcoin, elas só ultrapassaram US$ 1 milhão em duas ocasiões nos últimos doze dias, indicando uma tendência de queda.

O Runes é um novo padrão de criação de tokens fungíveis no blockchain da criptomoeda. O protocolo foi idealizado por Casey Rodarmor, o criador do Ordinals, que habilitou a criação de tokens não-fungíveis (NFTs, na sigla em inglês) no Bitcoin.

O protocolo Runes está operacional há três semanas desde a sua estreia em 19 de abril, que coincidiu com o último evento de halving do bitcoin. O lançamento desencadeou uma febre entre os investidores, levando a um aumento nas taxas de transação e um recorde de ganhos para os mineradores, com mais de US$ 135 milhões em taxas apenas na primeira semana.

Dados da Dune Analytics mostram que, até 24 de abril, transações relacionadas ao Runes compunham a maioria das transações na rede Bitcoin. Em 23 de abril, o Runes reivindicou a maior participação nas transações, 81,3%, empurrando a participação das transações com bitcoin para 18,15%.

As transações do Runes diminuíram consistentemente nos nove dias seguintes até 2 de maio. A partir de 3 de maio, o protocolo começou a se recuperar. Em 4 e 5 de maio, o Runes recuperou sua participação nas transações, com um patamar acima de 60%.

A comunidade de mineração teve um aumento das taxas enquanto seus ganhos caíram significativamente após o halving do bitcoin. No entanto, em maio, a receita total dos mineradores da criptomoeda caiu para menos de US$ 30 milhões por dia.

O Runes, assim como os Ordinals, desbloqueia novos padrões de tokens no blockchain Bitcoin, oferecendo uma solução de tokenização mais eficiente que o protocolo BRC20. Isso levou a um aumento no comércio de criptomoedas meme na rede, que recentemente processou 1 bilhão de transações.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BlockchainBitcoinNFTs

Mais de Future of Money

SEC suspende investigação sobre ether e anima investidores da criptomoeda

Com bitcoin “de lado”, ether dispara e uma criptomoeda sobe 22%; entenda

Prefeitura do RJ anuncia parceria com ABcripto para conscientização sobre criptoativos

Blockchain Polkadot anuncia parceria com UTFPR para reforçar aposta no Brasil

Mais na Exame