Plataforma cita otimismo e define data e preço de fan token do Corinthians

Em entrevista à EXAME, CEO da Socios.com, responsável pela criptomoeda, explica crescimento do mercado de fan tokens e mostra otimismo com cenário brasileiro
Fan token do Corinthians será lançado no dia seguinte ao 111º aniversário do clube (Thiago Bernardes/Getty Images)
Fan token do Corinthians será lançado no dia seguinte ao 111º aniversário do clube (Thiago Bernardes/Getty Images)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 26/08/2021 15:51 | Última atualização em 27/08/2021 10:45Tempo de Leitura: 5 min de leitura

A plataforma Socios.com, responsável pela emissão de alguns dos mais populares fan tokens do mundo, anunciou o preço e a data de lançamento do criptoativo do Corinthians. O SCCP será lançado no dia 2 de setembro, um dia após o 111º aniversário do clube paulista, às 10h (de Brasília) com preço inicial definido de 2 dólares, ou cerca de R$ 10,50, que deverão ser pagos com a criptomoeda nativa da plataforma, a chiliz (CHZ).

O Corinthians é o segundo time brasileiro a fazer parte da plataforma. Antes, o Atlético Mineiro já tinha lançado os seus fan tokens, em uma venda inicial que colocou 850 mil tokens em circulação e se esgotou em poucos minutos, gerando uma arrecadação de quase 2 milhões de dólares, ou mais de 10 milhões de reais - o preço inicial do token GALO também foi de 2 dólares.

"Estamos muito confiantes que a nossa iniciativa no Brasil, com o Corinthians, seja bem recebida pelos fãs e pelo clube", contou Alexandre Dreyfus, CEO da Socios.com, à EXAME. "Nós já notamos um enorme interesse quando anunciamos a parceria".

Outro ponto que deixa as partes envolvidas otimistas é que o mercado de fan tokens vem ganhando terreno e conquistando milhares de adeptos no Brasil. Além do resultado expressivo com a venda de tokens GALO, a corretora cripto Mercado Bitcoin, que negocia esses ativos no mercado secundário, informou que o volume de negociação dos tokens do PSG foi o maior da plataforma nos dias próximos ao anúncio da contratação de Lionel Messi, superando até o bitcoin e o ether, tradicionalmente os líderes disparados deste mercado.

Neste período, o preço dos tokens do clube francês disparou, especialmente após o clube informar que pagaria parte do bônus ao jogador argentino com o criptoativo oficial do PSG.

Fan tokens são uma espécie de criptoativos que dão aos seus portadores o direito de participar de votações - como escolha da pintura do ônibus ou da terceira camisa da equipe - e de experiências ligadas ao clube. Segundo o executivo, quem estabelece quais serão essas ações e as recompensas que poderão ser adquiridas com os criptoativos são os clubes: "Somos uma plataforma. Os clubes é que decidem o que eles querem oferecer, e para quem. Claro, trabalhamos em conjunto para ser o mais criativo e bem-sucedidos, mas, no fim das contas, é papel dos clubes".

Dreyfus também explicou que não enxerga os tokens emitidos pela Socios.com como um concorrente dos atuais programas de sócios-torcedores que a maioria dos grandes clubes brasileiros possui e que o foco dos fan tokens da plataforma está nos torcedores que vivem mais afastados dos clubes: "Esse é um ponto muito importante. A Socios.com não existe para competir, mas para completar. Nosso produto não é voltado para o sócio-torcedor, mas justamente para os torcedores que não são sócios. É mais para os torcedores casuais espalhados pelo país e fora dele. Os clubes precisam de produtos digitais diferentes, para perfis diferentes. Nosso foco está mais nos torcedores 'digitais'".

Com a segunda maior torcida do país, estimada em algo entre 20 e 30 milhões de torcedores, o Corinthians pode causar grande impacto no mercado de fan tokens, especialmente por ter, historicamente, uma torcida conhecida pelo fanatismo e devoção ao clube - o que difere um pouco do perfil dos torcedores de clubes europeus, maioria na plataforma.

Algumas semanas depois da venda inicial - chamada pela Socios.com de FTO, ou Fan Token Offering - os tokens passarão a circular livremente, podendo ser negociadas no mercado secundário. Além das transações ponto a ponto (ou de pessoa para pessoa), é possível comprar e vender esses criptoativos em corretoras especializadas.

No Brasil, o Mercado Bitcoin tem exclusividade de negociação dos fan tokens da Socios.com, mas a data de listagem dos tokens GALO e SCCP ainda não têm data confirmada. "O Mercado Bitcoin é uma ótima porta de entrada para os entusiastas de criptoativos que também querem se engajar com o seu esporte preferido. O MB nos dá visibilidade no Brasil e cria oportunidades que promovem as duas marcas", explicou Dreyfus.

Diretor da corretora, Fabrício Tota explicou à EXAME que o mercado esportivo é um dos principais focos do Mercado Bitcoin que, além dos fan tokens da Socios.com, também já lançou o Vasco Token, um criptoativo que representa participação em direitos federativos de jogadores formados na base do clube carioca. Segundo ele, o token do PSG já se consolidou como o quinto ativo mais negociado na plataforma que, agora, mira em outras ações ligadas ao esporte: "Devemos anunciar em breve uma iniciativa com clubes brasileiros ligada aos NFTs", disse, sem entrar em detalhes.

Além de clubes de futebol como PSG, Barcelona, Juventus, Atletico de Madri, Roma e Arsenal, entre outros, a plataforma Socios.com também tem parcerias com outras marcas esportivas, como o UFC, times de basquete da NBA, equipes de e-sports e de automobilismo. A CBF, que recentemente lançou um fan token da Seleção Brasileira, entretanto, fez a emissão do criptoativo em uma plataforma concorrente, a turca Bitci.