Future of Money

Estado nos EUA revela investimento de R$ 800 milhões em ETFs de bitcoin

Investimento realizado por um órgão governamental é o primeiro do tipo revelado para o público desde a estreia dos fundos

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 15 de maio de 2024 às 11h32.

A Junta de Investimentos do Estado do Wisconsin (SWIB, na sigla em inglês) revelou na última terça-feira, 14, que possui investimentos em fundos negociados em bolsa (ETFs, na sigla em inglês) de bitcoin administrados pelas Grayscale e BlackRock. O investimento é o primeiro do tipo realizado por um órgão público nos Estados Unidos.

Em um documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), a entidade governamental responsável por gerenciar os fundos previdenciários do estado do Wisconsin divulgou que detinha mais de 2,4 milhões de ações no ETF da BlackRock e mais de um milhão de ações no ETF da Grayscale.

Essas ações estão avaliadas em aproximadamente US$ 100 milhões e US$ 64 milhões, respectivamente, resultando em um investimento total de US$ 164 milhões (R$ 845 milhões, na cotação atual). Os documentos revelaram que o Sistema de Aposentadoria de Wisconsin pode ter exposição a investimentos em criptomoedas por meio das duas empresas de gestão de ativos.

A SWIB relatou que gerenciava mais de US$ 156 bilhões em ativos até dezembro de 2023, com cerca de 48% destinados a investimentos em ações públicas. Outros investimentos incluem ações da Coinbase, MicroStrategy e Cleanspark, todas ligadas ao mercado de criptomoedas.

"Normalmente, você não vê essas grandes instituições nos ETFs por cerca de um ano após a estreia, quando o ETF ganha mais liquidez, mas como vimos, estes não são lançamentos comuns", destacou o analista de ETFs da Bloomberg Eric Balchunas em uma publicação sobre os documentos.

Empresas investindo em bitcoin

Balchunas comentou que a revelação sobre o investimento é um "bom sinal" e disse para os investidores "esperarem mais [anúncios do tipo], já que as instituições tendem a se mover em rebanhos". Além da entidade governamental, diversas empresas privadas relevantes revelaram investimentos nos ETFs de bitcoin.

Documentos enviados à SEC mostram que os bancos Wells Fargo e JPMorgan investiram ao menos US$ 1 milhão em diferentes fundos da criptomoeda. Já o Susquehanna International Group revelou um investimento de mais de US$ 1 bilhão nos ETFs ao longo do primeiro trimestre.

Em geral, as empresas priorizaram a compra de ações dos ETFs de bitcoin da Grayscale, BlackRock, Fidelity, ProShares e Bitwise. Os ETFs foram aprovados pela SEC em 10 de janeiro deste ano, estreando no mercado no dia seguinte.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)CriptomoedasBitcoinETFs

Mais de Future of Money

Cenário macroeconômico dos EUA será decisivo para o bitcoin nos próximos meses; entenda

Deutsche Bank vai participar de projeto para testar tokenização em Singapura

Criptomoeda meme pepe dispara e atinge maior valor da história, impulsionada pela GameStop

TSE mantém proibição de uso de criptomoedas para doações nas eleições de 2024

Mais na Exame