Campos Neto diz que CBDC brasileira não substituirá o real físico

Real digital será uma extensão da moeda física e não vai substituir as notas de reais, declarou Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil

Embora o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, tenha dito no passado que uma possível emissão de CBDC para o país significaria uma substituição gradual do dinheiro físico, não é isso que deve ocorrer de acordo com suas novas declarações.

Durante um evento promovido pela empresa de private equity EB Capital, nesta segunda-feira, 24, Campos Neto declarou que o real digital, em estudo de implementação pelo BC, será mais adequado a operações envolvendo 'contratos digitais` e não como uma moeda circulante em substituição ao dinheiro físico.

Assim, segundo Campo Neto, não será possível que todos os brasileiros convertam suas notas físicas de reais na versão digital da moeda.

"Se ela é uma extensão da moeda física, e pode ser convertida no mesmo valor, ao mesmo tempo, você teria de abrir uma conversão total. Ou seja, se toda a sociedade demandasse trocar toda moeda física pela eletrônica, ela poderia. Isso, obviamente, não pode, porque geraria enorme problema para os bancos, que sofreriam com a parte do multiplicador bancário."

Ainda segundo o presidente do BC, existem ainda muitos questionamentos sobre a emissão de um CBDC, contudo, destacou que a instituição vem construindo os pilares deste dinheiro do futuro.

"Existem várias perguntas que não são respondidas nesse mundo, ainda, e a gente está avançando, mas acho que o primeiro passo foi dado, que é entender quais são os pilares da moeda digital do futuro", pontuou.

O futuro

Campos Neto frisou ainda que a proposta do BC é que a moeda digital funcione como uma extensão do real.

Ela será distribuída ao público pelos bancos e fintechs, que terão a custódia do ativo, mas será 100% garantida pelo BC e não será remunerada — as instituições não poderão usar esses recursos para aplicações ou empréstimos, como acontece com o real.

"Como vão ser as trocas, as negociações no futuro? Em algum momento, esse movimento de 'tokenização', ou seja, transformar títulos em códigos numéricos e ser negociado via plataforma de blockchain, a gente entende que é um 'network', que, independentemente de as pessoas gostarem ou não da criptomoeda, o 'network' em si é muito proveitoso, eficiente", disse Campos Neto.

O presidente do BC declarou ainda que o futuro reservará um grande ecossistema de contratos inteligentes, hoje operacionalizados com criptomoedas, e que serão posteriormente, operados com o real digital.

"E a gente vai viver em algum momento, eu acho que em breve, uma abundância de 'smart contracts', que são contratos digitais. E aí a moeda digital, ela se encaixa melhor com contrato digital do que a moeda física", acrescentou.

por Cointelegraph Brasil

No curso Decifrando as Criptomoedas da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o seu funcionamento. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também